Gênesis 2:23 – A declaração poética de Adão


A declaração poética de Adão, é como diria minha esposa, um dos momentos mais fofos da Bíblia. Acompanhe neste estudo Bíblico de Gênesis 2:23.

declaração poética de Adão

Na postagem anterior, vimos que Adão foi apresentado a Eva. Adão, reconhecendo na mulher a colega desejada, alegremente lhe deu as boas vindas como a sua esposa e expressou sua felicidade numa exclamação poética.

As palavras “Esta é agora” refletem sua agradável surpresa quando viu na mulher o cumprimento do desejo de seu coração. A repetição da palavra “esta” claramente nos mostra sobre com que alegria e assombro descansava agora os olhos dele com a intensa emoção do primeiro amor.

Osso dos meus ossos

Em sua declaração poética, Adão reconheceu que Eva era como ele (osso dos meus ossos e carne da minha carne). Adão compreendeu a unidade essencial.

Quando Adão reconheceu que Eva foi tirada dele, entendia que ela não era a mesma que ele. Ele entendeu que duas pessoas diferentes estavam se tornando uma. 1 Pedro 3: 7

Até agora Adão só tinha conhecido seres bem diferentes dele, e sem inteligência suficiente para desenvolver uma comunhão. Agora Adão parece não acreditar no que vê.

Ao acordar enxerga com seus próprios olhos alguém igual a ele, inteligente, que fala, que sorri, com um corpo semelhante ao dele. Instintivamente, ou como resultado de uma instrução divina, Adão reconheceu nela uma parte de seu próprio ser.

A partir de em adiante deveria amá-la como a seu próprio corpo, pois ao amá-la estaria amando a si mesmo. O apóstolo Paulo nos faz lembrar esta verdade; Efésios 5:28

“Assim devem os maridos amar as suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo”.

Ninguém entra em uma sala e procura o assento mais desconfortável. A preocupação natural que temos por nós mesmos nos leva a cuidar de nós mesmos.

Em um relacionamento matrimonial saudável, o marido percebe a união essencial que ele tem com a esposa e que ele não pode abençoá-la sem se abençoar e ele não pode maltratá-la ou negligenciá-la sem maltratar ou negligenciar a si mesmo.

Em Cristo;

A seguir: A declaração profética de Deus.


Número de visualizações do artigo: 13