Gênesis 2:8,9 – As árvores da vida e da morte


As árvores da vida e da morte, é um assunto muito especulado sobre a natureza dessas árvores, mas é mais prudente nos limitarmos ao que a Bíblia ensina nesse estudo Bíblico de Gênesis 2:8,9.

V-8 O Éden era um jardim especificamente plantado por Deus; era um lugar que Deus fez para ser uma habitação perfeita para Adão (e depois Eva).

Segundo a descrição dos rios, o jardim do Éden (que significa prazer) poderia estar situado na Mesopotâmia (atual Iraque), em um local fértil e de clima temperado.

A local exato desse jardim não é mais reconhecida nos dias de hoje; as observações dos versículos 11 a 14 obviamente identificam os territórios na ocasião em que o livro de Gênesis foi escrito, ou seja, no tempo de Moisés. Os rios Pisom e Giom desapareceram posteriormente.

O dilúvio alterou de tal maneira os rasgos físicos originais da terra, que se torna impossível a localização atual de localidades antediluvianas.

O Éden se converteu para sempre no símbolo do conceito mais elevado do homem quanto a excelência terrena.

As árvores da vida e da morte

V-9 Duas árvores se destacavam no centro do jardim: a árvore da vida, e a árvore do conhecimento do bem e do mal.

Muito se tem especulado sobre a natureza dessas árvores, mas é mais prudente nos limitarmos ao que a Bíblia ensina: as folhas da árvore da vida, como revelado no Apocalipse (22:2), eram medicinais, curativas, e seu fruto dava vida eterna (Gênesis 3:22).

Deus ainda tem uma árvore da vida disponível para o Seu povo (Apocalipse 2:7), que está no céu (Apocalipse 22:2).

Comer do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal, entretanto, resultaria em morte imediata.

Isso não quer dizer necessariamente que o fruto era em si venenoso ou tinha algum poder sobrenatural, pois o ato de comer o fruto é que traria a morte.

O tipo de cenário que está sendo montado já nos mostra o nível de liberdade que Deus quer dar para os primeiros habitantes deste mundo.

Deus criou Adão e Eva para serem seres “livres”, capazes de tomar decisões, capazes de escolher entre o bem e o mal. Para que Adão e Eva fossem verdadeiramente “livres”, deveriam ter uma escolha.

Em Cristo

A seguir: Os rios que não existem mais


Número de visualizações do artigo: 9