Gênesis 3:16 – A maldição do pecado e o castigo da mulher


A maldição do pecado e o castigo da mulher, é o estudo Bíblico e comentário de Gênesis 3:16. Depois de decretar o castigo de satanás, agora chegou a vez de Eva. Deus se vira para a mulher e diz;

A maldição da dor, no castigo da mulher

A maldição do pecado e o castigo da mulher, é o estudo Bíblico e comentário de Gênesis 3:16. Depois de decretar o castigo de satanás, agora chegou a vez de Eva. Deus se vira para a mulher e diz;

– Eva, vou multiplicar grandemente a sua dor quando você der a luz a seus filhos.

Antes do pecado Deus já havia se estabelecido que a mulher desse a luz; “Frutificai e multiplicai-vos” (cap. 1: 28). Por isso os embaraços de um parto tinham o propósito de ser uma bênção e não uma maldição.

Mas a entrada do pecado significou que de ali em diante a gestação seria acompanhada de muita dor. Em épocas que não havia a medicina e as maternidades como as de hoje, as dores de parto eram tão intensas que nas Escrituras são apresentadas como um símbolo da mais tremenda angústia corporal e mental (veja em 1 Tes. 5: 3; João 16: 21).

Foi observado que as mulheres dão a luz com mais dor do que qualquer outra criatura na terra. Deus continua;

A maldição do prazer, no castigo da mulher

– Tem mais Eva, teu desejo será para o teu marido.

A palavra hebréia shuq, “desejo”, significa “ter um intenso desejo de uma coisa”, o que indica que o mais forte desejo sexual possível seria uma característica apenas de Adão.

Ainda que oprimida pelo homem e torturada pelas dores do parto, a mulher, todavia ainda sentiria um desejo sexual por seu marido, porém não igual ao dele. Este desequilíbrio foi transferido para todas as gerações até os dias de hoje. Quem é casado sabe do que estou falando.

O diabo aproveitando este desequilíbrio criou a indústria do sexo e seus derivados como a pornografia, a prostituição, o homossexualismo e a pedofilia. Sem falar nos crimes sexuais bárbaros que tem nos chocados, como temos visto nos noticiários.   Note que todos os envolvimentos na grande maioria homens. É por isso que o apostolo Paulo aconselhou;

– Mas, se vocês não podem dominar o desejo sexual, então casem, pois é melhor casar do que ficar queimando de desejo. 1° Cor 7:9

É bom lembrar que estes castigos pronunciados por Deus não eram de sua vontade. Era o resultado da entrada do pecado. Quando Deus criou homem e mulher, os criou perfeitos.

A maldição da desigualdade, no castigo da mulher

Como desgraça pouca é bobagem, Deus finaliza as consequências em que resultaram sua desobediência;

– Tem mais uma coisa Eva, você perdeu também a condição de igualdade com teu esposo, ele te dominará.

Entre a maioria dos povos que não são cristãos, a mulher tem estado submetida, através dos séculos, à degradação e a uma escravatura virtual.

O cristianismo colocou à mulher na mesma plataforma que o homem no que diz respeito às bênçãos do Evangelho (Gálatas. 3: 28). Sob Jesus, alguns dos efeitos da maldição são aliviados, e foi o cristianismo que trouxe direitos e dignidade às mulheres.

“É difícil para as mulheres nas terras cristãs perceberem as misérias de centenas de milhões de mulheres em terras pagãs, onde as mulheres estão um pouco acima do gado. Para onde o evangelho foi, a mulher em Cristo se tornou o reflexo da Igreja redimida, a noiva de Cristo.” (Barnhouse)

O pecado levou a mulher a ter muitas dores em seu relacionamento com o homem. Antes do pecado entrar no mundo, Adão já havia recebido o papel de líder, deveria ser uma benção para todos, com a entrada do pecado perdeu-se o equilíbrio.

A maldição do machismo, no castigo da mulher

O homem tem usado sua força e posição para trazer miséria à mulher. Note os apuros de muitas mulheres através da história e mesmo hoje em muitos lugares.

Felizmente para aqueles que conhecem a Cristo, estes sofrimentos são grandemente reduzidos. Ainda que o esposo deva ser a cabeça do lar, os princípios cristãos levarão ao homem e a sua esposa a experimentar um verdadeiro companheirismo, onde cada um está tão consagrado à felicidade e bem estar do outro, que nunca mais deverá ocorrer situações em que qualquer deles trate de ser o dominador um do outro.

Cristo nos devolveu o equilíbrio dos papéis do marido e da esposa, como Deus assim estabeleceu no Éden antes do pecado. Deus não queria esse desequilíbrio, isso veio por causa do pecado.

No lar onde o homem segue o exemplo de Cristo, a sua “liderança” é uma grande benção para todos [Efésios 5].

“Como resultado da queda, o homem não governa mais facilmente; ele deve lutar por sua liderança. O pecado corrompeu tanto a submissão voluntária da esposa quanto a liderança amorosa do marido. O desejo da mulher é controlar o marido (usurpar sua liderança divinamente designada), e ele deve dominá-la, se puder. Portanto, a regra do amor fundada no paraíso é substituída por luta, tirania e dominação. ” (Susan T. Foh)

Somente em Cristo poderemos restituir em nossos lares aquilo que foi perdido lá no Éden e tem destruído famílias até os dias de hoje.  

Em Cristo!


Número de visualizações do artigo: 74