Gênesis 4:25,26 – O primeiro avivamento!


Após termos sido informados sobre a evolução da ímpia família de Caim, o autor (Moisés) volta a nos falar de Adão e Eva e repassa brevemente a história dos que foram parte do primeiro avivamento de Deus.

Após termos sido informados sobre a evolução da ímpia família de Caim, o autor (Moisés) volta a nos falar de Adão e Eva e repassa brevemente a história dos que foram parte do primeiro avivamento de Deus.

Em Romanos capítulo 5, o apóstolo Paulo tem muito a dizer sobre a queda do homem no livro de Gênesis. Porém, neste mesmo capítulo, encontramos as seguintes palavras de esperança: “Mas onde abundou o pecado, superabundou a graça” (Romanos 5:20).

O pecado certamente abundou na linha de Caim nesse capítulo 4 de Gênesis, mas o capítulo não terminará sem um vislumbre da graça de Deus.

O casal Adão e Eva tinham experimentando a dura realidade de até onde o ser humano sem Deus pode chegar. Adão e Eva tiveram muitos filhos que não foram nomeados especificamente no registro bíblico, mas Sete era digno de menção porque, em certo sentido, substituiu Abel e foi quem cumpriu a promessa de que um libertador da semente da mulher (Gênesis 3:15) seria passado.  

Sendo assim, vendo Eva que seu piedoso filho estava morto e reconhecendo que as palavras de Deus acerca da semente prometida não podiam encontrar seu cumprimento em Caim ou em seus outros filhos, expressou sua fé em que o Libertador prometido viria mediante a um outro filho.

Logo após a morte de Abel, nasceu mais um filho a quem sua mãe deu o nome de Sete, que significa a “compensação” ou “substituto”. A fé de Adão e Eva seria recompensada, viria então, o primeiro avivamento, pois os descendentes de Sete obedeceram ao Senhor.

Começou a ficar claro que a libertação que Adão e Eva esperavam não viria tão cedo, mas, no entanto, era certa. 

O primeiro avivamento

V-26.
Nesse tempo as pessoas começaram a oferecer a Deus um culto mais formal e público.

Alguns consideraram Gênesis 4:26 o primeiro avivamento, porque foi a primeira indicação de um ressurgimento espiritual após um claro declínio. A partir de Enos (filho de Sete) “se começou a invocar o nome do Senhor” com uma distinção mais pública entre os que adoravam ao Senhor e os que o desafiavam.

Entretanto, com o passar do tempo, satanás seduzirá esta geração de adoradores, e como estudaremos adiante, infelizmente este avivamento se esfriará e apenas uma pequena minoria da qual Noé e sua família farão parte, continuarão firmes no Senhor.

Em Cristo;


Número de visualizações do artigo: 75