Gênesis 11:10-30 – A genealogia de Abraão


Neste capítulo vamos conhecer a genealogia de Abraão. De primeira vista parece ser algo raso e sem importância. Será isso mesmo?

Neste capítulo vamos conhecer a genealogia de Abraão. De primeira vista parece ser algo raso e sem importância. Será isso mesmo?

A genealogia de Abraão

V-10-26.
Abrão (mais tarde alterado para Abraão) é mencionado 312 vezes em 272 versículos da Bíblia. Ele é indiscutivelmente o homem mais famoso do Antigo Testamento, e certamente um dos homens mais influentes da história.

O livro de Gênesis abrange mais de 2.000 anos e mais de 20 gerações. No entanto, gasta quase um terço de seu texto na vida de um homem – Abrão.

Abrão é único que foi chamado amigo de Deus. (Tiago 2:23); (2 Crônicas 20:7); (Isaías 41:8).

Moisés agora se ocupa em relatar a linhagem de Sem, cuja apresentação foi interrompida pelo relato da confusão das línguas. Esta é uma continuação da lista do povo elegido de Deus que começou em Adão e parou em Noé.

Moisés apresenta agora a genealogia da linhagem patriarcal desde Sem até Abraão. Apesar de ser uma leitura monótona, esta genealogia é importante para mostrar que as profecias divinas são verdadeiras. Sem ela nós não teríamos como provar que Cristo é descendente de Sem como vemos em, Lucas 3:34-38.  

Ao que saibamos, nenhuma outra pessoa do mundo é capaz de apurar sua genealogia tão longe na antigüidade. Note que o tempo de vida começou a encurtar após depois do dilúvio, baixando de 950 (Noé), para 175 (Abrão).

A fé salvou Abraão

Quando chegarmos a Moisés veremos que em seu tempo ele considerava que a idade máxima era 100 anos (mas, ele viveu 120). Abrão significa pai exaltado, o progenitor do povo especial de Deus; mais tarde foi alterado ligeiramente para Abraão, que significa pai de multidão.

Segundo cálculos feitos, ele nasceu no ano 1.996 a.C., o que coloca a criação no ano 4.004 a.C.; Nada se diz sobre a fidelidade a Deus das pessoas mencionadas nesta passagem, mas lemos em Josué 24;2 que Terá adorava outros deuses.

Todavia, Abrão era fiel, e Deus o escolheu e o tirou do meio idólatra em que se encontrava – a sua fé, comprovada pela sua obediência, o salvou. A partir desta passagem Deus deixa de lado a humanidade em geral (os gentios), e através de Abrão Ele milagrosamente cria e educa um povo a fim de mostrar os padrões de conduta perfeitos que Ele requer do Homem:

Ninguém porém consegue atingi-los salvo o Seu Filho, que Ele depois enviou ao mundo para redimi-lo.  

Em Cristo;


Número de visualizações do artigo: 120