Gênesis 12:9-15 – Abraão erra ao ir para o Egito e expõe sua bela esposa!


Gênesis 12:9-15 - Abraão erra feio ao ir para o Egito e expõe sua bela esposa!

No pouco tempo que Abraão estava na terra prometida, uma grande fome o obrigou a deixá-la. Então, indo a caminho Egito, Abraão erra e quase estraga os planos de Deus…

V-9.
Vimos nos versículos anteriores que Abrão havia acampado em Betel. Não construiu uma casa, apenas acampou, por isso não ia ser o lar permanente de Abraão.

Portanto dali ele foi andando de um lugar para outro, sempre na direção sul da terra de Canaã, uma região sujeita a secas freqüentes. Esse era o caminho para quem vai ao Egito.

Havia fome naquela terra: por ser uma região semi-árida, as colheitas eram escassas, e as pastagens secavam impedindo a alimentação dos animais.

V-10

A presença desta fome precisamente quando Abraão entrou na terra prometida, foi uma prova adicional de sua fé. Deus devia ensinar-lhe lições de submissão, fé e paciência.

Encontrando-se no sul de Canaã, para Abraão lhe pareceu mais natural ir ao Egito, o país da abundância, a procura de sustento, do que ficar em Canaã e continuar depositando sua fé em Deus.

O maior de todos os santos pode cair. Vitórias passadas não é uma garantia de vitórias futuras. Cada prova necessita de um exercício novo da fé. Muitas pessoas morreram de fome, e era certo que Abrão se preocupasse com a fome e com a alimentação de sua família.

Abraão erra feio

Mas Abrão erra ao pensar que Deus não supriria suas necessidades no lugar onde Deus o chamou para viver. Afinal, Deus chamou Abrão para Canaã e não para o Egito.

Dificilmente se podemos culpar Abrão pela decisão. A terra prometida já estava ocupada por uma sociedade pagã implacável dos cananeus, forçando Abrão a se mover para o sul, onde a fome o cercou.

É sempre assim com aqueles que seguiriam o Senhor. Depois que alguém dá o passo e faz a mudança, os problemas geralmente parecem se multiplicar.

Sair de Canaã e descer ao Egito, no entanto, não forneceria a solução para os problemas. Muitos cristãos deixaram o reino e “desceram ao Egito”, apenas para aprender como Abraão que nenhum filho de Deus pertence a ele.

Na Bíblia, o Egito simboliza o mundo. Assim como Abrão, muitos crentes são tentados pelas atrações do mundo, que parece oferecer um estilo de vida agradável e se esquecem da santificação necessária aos que pertencem a Deus.

Abraão teme por sua vida

V-11,12.
Quando ia chegando ao Egito, Abrão temeu por sua vida devido à beleza de sua mulher Sara.

_ Escute Sara! Você é uma mulher muito bonita, e quando os egípcios a virem, vão dizer: “Essa aí é a mulher dele.” Por isso me matarão e deixarão que você viva.

Os egípcios eram muito poderosos e temidos. O homem de grande fé se viu agora atropelado por um grande medo. Então sua precaução tomou o lugar de sua fé e de sua inteligência.

_ Diga, então, que você é minha irmã. Já que ela era sua meio irmã, sentiu-se justificado em pedir a ela que se fizesse passar como sua irmã.

Isso era de fato uma meia verdade. Sara era a meia-irmã de Abrão (Gênesis 20:12). No entanto, essa meia verdade era uma mentira inteira.

A intenção de Abrão aqui era claramente enganar, e ele confiou em seu engano para protegê-lo, em vez de confiar no Senhor.

Se queremos fazer algo errado, podemos encontrar algumas boas razões para fazê-lo. Se não conseguimos pensar nas razões que levamos, o diabo fica feliz em sugeri-las.

Como podia pensar em protegê-la mais eficazmente como sua irmã do que como sua mulher?

_ Então se pensarem que você é minha irmã, por sua causa, eles me deixarão viver e me tratarão bem. Assim acontece com freqüência, elaboramos planos supostamente “inteligentes” quando não temos a interferência de Deus.

Sara chama a atenção por sua beleza

V-14.
Quando Abrão chegou ao Egito, os egípcios viram que Sara, a sua mulher, era, de fato, muito bonita.

O ponto principal aqui é que Abrão e seu séquito não poderiam entrar no Egito secretamente. Eles eram muitos, carregando posses e rebanhos. Os egípcios provavelmente os notariam, e Abrão sabia que a beleza de Sara também não passaria despercebida. 

Como podia Sara ser tão atraente com a idade de 65 anos? Devemos lembrar que no tempo de Abraão a duração da vida humana era duas vezes o que é hoje, e Sarai que morreu na idade de 127 anos, estava, portanto, só na flor da idade.

Sabe-se que os faraós tinham preferência pelas mulheres estrangeiras de pele mais clara e sempre que conseguiam moças líbias, hititas, mesopotâmicas e palestinas as levavam para o harém real.

Abraão erra e bota tudo em jogo

V-15.
Alguns altos funcionários do rei do Egito também a viram e ficaram loucos por ela. Por isso ela foi levada para o palácio do rei.

Compreendendo o lugar que Abrão e Sarai têm no plano redentor de Deus, percebemos o quanto isso era sério.

Deus não queria que o ventre de Sara fosse contaminado por um rei gentio, porque o Messias viria de sua linhagem de descendentes.

Que desastre foi esse! A mãe do “Povo Escolhido” estava nesse ponto comprometida com o harém do Faraó e, sem intervenção divina.

TODAS as promessas de Deus corriam o risco de serem definitivamente perdidas por causa do erro de Abraão. Um pecado leva a outro. Se Abraão tivesse ficado em Canaã, onde Deus o enviou, não teria sido tentado no Egito. Foi uma situação que exigiu e recebeu um intervenção divina, algo que ocorreu repetidamente na história de Israel.

Em Cristo!


Número de visualizações do artigo: 65