Abraão e a terrível revelação da escravidão! Gênesis 15:13-16


Abraão e a terrível revelação da escravidão

V-13.
Após Abraão acordar cheio de pavor e medo pelo provável sonho terrível que teve, Deus, volta a falar com ele, explicando o motivo de seu momentâneo desespero, através de uma terrível revelação da escravidão. Veja agora um estudo Bíblico e comentário de Gênesis 15:13-16

Então o Senhor disse:

_ Quero lhe explicar o motivo de sua agonia, fique sabendo, com certeza, que a posse da terra prometida não será imediata e que antes disso, os seus descendentes viverão num país estrangeiro; ali serão escravos e serão maltratados durante quatrocentos anos.

Abrão queria uma prova concreta de Deus, e Deus logo assinaria o pacto. No entanto, Abrão precisava saber que ele teria terras e descendentes, mas nem tudo iria bem com seus descendentes no futuro. Este foi um aspecto terrível para uma promessa incrível. A revelação de uma escravidão que duraria séculos.

Abraão deve ter estranhado muito quando soube que seus descendentes, a quem Deus tinha feito tão maravilhosas promessas, seriam escravos de uma outra nação.

Flash-forward

Vamos dar uma pausa para um rápido flash do futuro. Veremos mais tarde em nossos estudos, que esta profecia se cumprirá em seu devido tempo:

1º – Seu neto Jacó será servo de Labão durante 20 anos (Gênesis 31:41).

2º – Seu bisneto José ainda será vendido como escravo, e mais tarde posto na prisão (Gênesis 39:1; Gênesis 40:4).

3º – Finalmente todos os descendentes de Israel serão escravizados no Egito (Êxodo 1:13,14).

Depois que Deus lhe disse algumas das dificuldades que aconteceriam com seus descendentes, Abrão poderia ter dito: “Se é isso que vai acontecer, eu não quero filhos”. Pois poderia pensar que essa seria uma bênção até um certo ponto complicada.

Deus continua a revelação da escravidão

V-14.
E Deus continua;
_ Mas eu castigarei a nação que os escravizar. E os seus descendentes, Abrão, sairão livres, levando uma imensa riqueza com eles. Sem revelar o nome da nação (Egito) a que se fazia referência, a profecia indicava o tempo das pragas que viriam a esta nação. (Êxodo. 6:6).

Embora a terra tenha sido dada a Abrão e seus descendentes do pacto, haveria esse longo período em que eles viveriam fora da terra e em aflição. No entanto, depois de quatro gerações eles voltariam para (Canaã) e viriam com grandes posses.
V-15.
_ Más não se preocupe, você terá uma vida longa, uma velhice abençoada e morrerá em paz.

  V-16.

_ Depois de quatro gerações, os seus descendentes voltarão para Canaã, daí então eu expulsarei os Amorreus daqui. Más só farei isso até que eles se tornem tão maus, que mereçam ser castigados.

A escravidão duraria especificamente 430 anos. Êxodo 12:40. Esse tempo não conta com os primeiros anos de permanência no Egito, enquanto José ainda era o substituto do Faraó.

As razões para Abraão não tomar posse

Teve duas razões fundamentais para o cumprimento da promessa divina não ser no tempo e Abraão:

Em primeiro lugar, precisaria de muito tempo para que se multiplicasse a descendência de Abraão, pois ainda tinham que aprender muita coisa para se tornarem uma nação e chegar ao ponto de invadir um país.

Em segundo lugar, Deus com seu amor e justiça, ofereceu um tempo de graça para os Amorreus, pois não estavam prontos para serem julgados, e para que mais tarde, nem eles nem outros acusassem a Deus de injustiça quando chegasse o tempo de destruí-los e tomar seu território.

E o que aconteceu com o pacto dos animais partidos ao meio? Será que Deus esqueceu do porque tinha pedido estes sacrifícios? Abraão esperava um sinal da promessa e recebeu apenas uma revelação trágica? Será que Deus vai confirmar sua parte na aliança, passando por entre os animais sacrificados? Respostas na próxima postagem!

Em Cristo!

Leia a postagem anterior… A

seguir: A presença divina e um Flash do futuro


Número de visualizações do artigo: 29