Gênesis 17:10-14 – Abraão, a aliança e a primeira circuncisão


A circuncisão

Gênesis 17:10-14 - Abraão, a aliança e a primeira circuncisão

Abraão, a aliança e a primeira circuncisão, é o assunto do estudo Bíblico de Gênesis 17:10-14. Deus desafiou a Abraão a praticar um símbolo da aliança que havia entre eles. E esse símbolo não era nem um pouco nutella. Era um símbolo, digamos, mais raiz. Faca na caveira, quero dizer, no prepúcio.

V-10.
_ Abraão, preste atenção, pela aliança que estou fazendo com você e com os seus descendentes, todos os homens entre vocês deverão ser circuncidados.

Pela primeira vez, Deus deu a Abraão algo a fazer em relação à aliança. Ele lhe disse que seus descendentes devem assumir um sinal da aliança , mostrando que a receberam pela fé.

Deus escolheu esse sinal por muitas razões importantes:

  1. Há alguma evidência médica de que essa prática realmente contribuiu para o vigor duradouro da raça judaica;
  2. A circuncisão é um corte da carne e um sinal apropriado da aliança para aqueles que não devem confiar na carne;
  3. Como a circuncisão lida com o órgão de procriação, foi um lembrete da semente especial de Abraão, que acabaria por trazer o Messias.

A circuncisão é o ato cirúrgico mais antigo na história da humanidade.

Más afinal, o que é circuncisão?

A circuncisão é uma operação cirúrgica que consiste na remoção do prepúcio, prega cutânea que recobre a glande do pênis.

Más, porque Deus escolheu justo este sinal?

A circuncisão seria uma maneira de diferenciar o povo que servia e que cria em Deus, dos demais.

Como isto era feito?

A expressão hebraica que falava como deveria ser realizada a circuncisão, se traduzida para o português é exatamente assim:

Primeiro você puxa a pele, depois corta e em seguida, estanca, antes que morra”.

A circuncisão deveria ser o sinal da aliança com o Israel literal, da mesma forma como o batismo o é com o Israel espiritual.

A circuncisão se relacionava com o nascimento físico; o Batismo se relaciona ao nascimento espiritual.

A circuncisão era um sinal da Aliança

V-11.
_ A circuncisão servirá como sinal da aliança que há entre mim e vocês.

Os sinais externos podem ensinar verdades espirituais, transformando assim em instrumentos que irão nos ajudar a nunca se esquecer da graça de Deus, e também de nosso próprio dever e nossas responsabilidades.

A circuncisão não era a aliança, mas um sinal da aliança já existente. Após a maneira judaica de pensar, a circuncisão foi elevada a um status em que realmente tomou o lugar da aliança.

Os judeus consideravam a circuncisão como de alguma forma a garantia de sua salvação. Mas apesar de respeitarem tanto esse símbolo como aliança, já chegaram a usar a circuncisão para uma carnificina, no massacre dos Siquemitas.

Tais visões, é claro, estavam totalmente equivocadas. O símbolo foi concebido como um sinal visível na carne de suas obrigações sob a aliança de Deus; e a mera exibição da placa nunca teve a intenção de substituir os deveres que a placa indicava.

De certa forma, a circuncisão parece simples demais. Como Deus pode exigir apenas esse único ato? Lembremo-nos de que Deus já havia dito a Abraão: “Anda diante de mim e seja irrepreensível” (versículo 1).

A circuncisão não era tudo o que Abraão precisava fazer – era o símbolo de seu relacionamento com Deus e significava qual deveria ser sua conduta moral.

Portanto, a circuncisão, para ele significava que ele havia se vinculado a Deus nessa aliança. Ele ansiava pelas bênçãos e também se submeteu às estipulações.

A circuncisão em Crianças

V-12-14
_ Tenho mais algumas instruções a respeito da circuncisão; De hoje em diante vocês circuncidarão todos os meninos oito dias depois de nascidos, e também os escravos que nascerem nas casas de vocês, e os que forem comprados de estrangeiros.

A circuncisão ao 8º dia de vida, era o sinal de que o pai cria que na promessa de Deus, um pacto contínuo de geração em geração, por isso era feito no órgão de procriação.

O 8º dia é o dia em que a vitamina “k”, a vitamina da coagulação, tem o seu auge no homem, tem o pico mais alto no organismo humano.

Portanto era o momento mais propício na vida de uma pessoa, para se fazer uma cirurgia naquela época.

Seguir esta regra ajudava a evitar o perigo de uma grande hemorragia.

Mas o que me impressiona é que os judeus ancestrais desconheciam as vitaminas. Vemos aqui mais uma vez a infinita sabedoria de nosso poderoso Deus.

A circuncisão era usualmente feita pelo chefe de família. Em tempos posteriores, usava-se uma pessoa treinada para esta operação.

E Deus continua suas instruções a Abraão;

_ Quem não for circuncidado não poderá morar no meio de vocês, pois não respeitou a minha aliança.

Dá pra entender como só quem realmente queria servir a Deus verdadeiramente passaria por algo assim, não é?

Por isso é que Deus sabiamente instituiu isso a Abraão. O homem da fé.

Aí você perguntaria, mas depois os filhos seriam pequenos e seria mais fácil?

Mas ainda sim, era difícil, pois imagine numa época sem noções de higiene, o risco que era para todos.

E a Bíblia ainda fala que se os estrangeiros quisessem participar da páscoa judaica, teriam que fazer a circuncisão. É preciso ter fé não é?

Infelizmente, através dos séculos, os judeus começaram a confiar mais no sinal da aliança (circuncisão) do que no Deus da aliança, acreditando que a circuncisão por si só era suficiente e necessária para salvar. Paulo refuta essa idéia extensivamente, especialmente à luz da obra finalizada de Jesus (Gálatas 5:1-15).

E hoje?

Em Colossenses 2:11-12, o apóstolo Paulo relacionou as idéias da circuncisão e do batismo cristão. Sua idéia era que, em Jesus somos circuncidados espiritualmente e também fomos sepultados com Jesus no batismo.

Paulo não disse que o batismo é o sinal da aliança que os cristãos recebem e vivem sob a nova aliança.

Mesmo que essa conexão seja estabelecida, é importante notar que alguém nasceu geneticamente na aliança descrita aqui em Gênesis 17.

Portanto, os cristãos são livres para circuncidar ou não. Pode-se fazê-lo por razões sociais ou de higiene, mas isso não nos aproxima de Deus: pois em Cristo Jesus, nem a circuncisão nem a incircuncisão aproveitam nada, mas a fé operando através do amor (Gálatas 5:6).

Hoje somos circuncidados no nosso coração, a marca física deu lugar a marca espiritual, graças ao sangue de Cristo. Amem?

Em Cristo;


Número de visualizações do artigo: 26