Gênesis 18:23-27 – Abraão aproveita-se da intimidade com Deus


Abrão, aproveita-se da intimidade com Deus, para interceder por seu sobrinho Ló, antes que Sodoma seja destruída.

Abrão, aproveita-se da intimidade com Deus, para interceder por seu sobrinho Ló, antes que Sodoma seja destruída. Estudo Bíblico e comentário de Gênesis 18:23-27.

V-23,24. Abraão chegou um pouco mais perto do anjo (que era Deus) e recorreu à bondosa misericórdia divina.

– Escute aqui meu Senhor, será que vais destruir os bons junto com os maus?

Intercessão por pessoas que amamos é uma oportunidade que temos, de nos aproximarmos de Deus. Perceba, que esta preocupação pessoal por seus próximos, é uma das características sublime do caráter de Abraão.

– Talvez haja cinqüenta pessoas direitas na cidade. Nesse caso, vais destruir a cidade? Será que não a perdoarias por amor aos cinqüenta bons?

Abraão não só ficou preocupado pela sorte de Ló, más também experimentou um profundo sentimento de compaixão para com os habitantes de Sodoma.

Era compreensível, pois muitos dos quais ele tinha um contato pessoal em ocasião do resgate das mãos dos reis da Mesopotâmia.

V-25.
– Não é possível que mates os bons junto com os maus, como se todos tivessem cometido os mesmos pecados. Não faças isso! Tu és o juiz do mundo inteiro e, por isso estou certo que agirás com justiça.

Só Deus é o Juiz de todos os homens. Dirigindo-se com tais palavras a Deus, Abraão mostrou que reconhecia o anjo, como o Ser Supremo, o Deus todo poderoso.

A resposta de Deus

V-26.
O SENHOR Deus então respondeu;

– Olha Abraão, vamos fazer o seguinte; Se eu achar cinqüenta pessoas direitas em Sodoma, perdoarei a cidade inteira por causa delas.

Deus aceitou o argumento proposto por Abraão não como um ato de justiça, más de misericórdia.

A justiça requeria a preservação dos justos, mas só a misericórdia poderia livrar aos ímpios. Provavelmente também a presença de um grupo de 50 pessoas justas daria esperança da conversão de outros.

Em sua primeira troca com Deus, Abraão estabeleceu um princípio – que Deus não destruiria os justos com os iníquos. Com esse princípio estabelecido, era apenas uma questão de números. Por quantas pessoas justas Deus pouparia a cidade?

A intercessão de Abraão foi eficaz porque era específica. Ele falou sobre números específicos com Deus, e não apenas em termos gerais e amplos. 

Muitas vezes, nossas orações são ineficazes porque realmente não pedimos ao Senhor que faça nada. Em vez disso, muitas vezes jogamos desejos para o céu.

A intimidade de Abraão com Deus

V-27. Então, Abraão voltou a dizer:

_ Perdoa o meu atrevimento de continuar falando contigo, eu acho até que já me passei, pois tu és o Senhor e eu sou um simples mortal.

As palavras de Abraão revelam a profunda humildade de alma que sentia na presença de Deus e uma impressionante intimidade.

Esse é o tipo de coração que Deus queria de Abraão; um coração que se importava com as pessoas criadas à imagem de Deus. Este era o coração que um grande líder de uma nação grande e poderosa precisava ter.

Que momento maravilhoso na vida de um ser humano. Quem não gostaria de ter uma experiência como esta?

Jesus Cristo em seu sacrifício na cruz nos possibilita ter a mesma experiência que teve Abraão. O problema é que às vezes esquecemos que Deus é quem quer ter este tipo de experiência conosco, muito mais do que nós imaginamos.

Quando vamos até Deus, na esmagadora maioria das vezes é somente para pedir e pedir. Quando é que chegaremos a Deus apenas com a intenção de desfrutar de sua maravilhosa presença?

Em Cristo;


Número de visualizações do artigo: 136