Gênesis 19:26-29 – A desobediente esposa de Ló


Gênesis 19:26-29 - A desobediente esposa de Ló

Você verá nesse estudo Bíblico de Gênesis 19:26-29, que a desobediente esposa de Ló, serve de exemplo para os que querem ser salvos, mas parecem não ter renunciado ao mundo.

A esposa de Ló vira estátua de sal

V-26.
Vimos nos estudos anteriores, que os anjos tinham tirado Ló e sua família da cidade condenada e lhes tinham dado instruções explícitas quanto ao que deviam fazer e o que deviam evitar, se queriam salvar suas vidas.

Um dos anjos ordenou que, ao fugir de Sodoma, eles não olhassem para trás. Tinham que correr para o seu refúgio, olhando sempre para o caminho em frente. Não era suficiente meramente escapar da cidade; era necessário continuar cumprindo com as instruções.

Porém, a mulher de Ló, não resistiu à curiosidade de olhar para trás, desobedecendo as orientações dos anjos. O hebraico para “olhar para trás” significa mais do que olhar por cima do ombro. Significa “considerar, olhar demoradamente, prestar atenção”. Provavelmente, seu coração ainda estava em Sodoma, onde ela havia vivido confortavelmente como esposa de um homem rico e de boa posição na sociedade.

Do mesmo modo, ela ainda estava incrédula quanto ao que os anjos lhes haviam dito (para ela eles seriam apenas homens, estrangeiros ainda por cima!): ela não queria sair de Sodoma, todavia saiu à força.

A lição que aprendemos

O castigo foi imediato: ela converteu-se numa estátua de sal! Nesse sentido, a desobediente esposa de Ló, foi usada por Jesus como exemplo, daqueles que querem preservar a sua vida neste mundo, ao invés de morrer para este mundo para ganhar a vida eterna (Lucas 17:32-33). Não devemos ter um coração que anseia por um mundo corrupto e passageiro. Não devemos ter um coração que, de certo modo, se arrependa do julgamento que Deus fará sobre ele.

Lamentamos sua sorte; mas aprendemos uma lição com seu exemplo. Seu coração endurecido serve de exemplo para os que querem ser salvos, e parecem não ter renunciado ao mundo, enquanto seu coração está, todavia, nele. Os anjos a tinham forçado a deixar a cidade, mas não podiam salvá-la contra sua vontade. Seu olhar para trás provavelmente mostrou amor por Sodoma e arrependimento por sua destruição.

Temos a sorte de receber avisos semelhantes. Efésios 4:22-24, nos diz para tirarmos o antigo eu, que é governado pelo pecado e sermos renovados, colocando-nos no novo eu, que é à semelhança de Deus. 

A Bíblia não deixa claro se a esposa de Ló virou uma estátua completa de sal ou se seu corpo ficou empanado ou coberto do sal que choveu com o enxofre. 

Provavelmente, um pedaço de pedra ardente de asteroide espirrou na água salgada ao seu redor. Talvez ela tenha se encharcado pela água salgada fervente que saía do vapor e então o sal se cristalizou em seu corpo. É apenas uma teoria.

Mas o interessante é que ela foi descrita como um “pilar” ou uma estátua, olhando eternamente para a cidade que tanto amava. 

O hebraico para “pilar” refere-se a algo preparado para vigiar outra coisa. A imagem da esposa de Ló vigiando a área do Mar Morto – onde até hoje nenhuma vida pode existir – é um lembrete pungente para não olharmos para trás ou nos afastarmos da profissão de fé que fizemos, mas para seguir a Cristo sem hesitação (Lucas 17:32).

Não se pode dizer quanto tempo permaneceu em forma visível a estátua de sal que continha seu corpo. E por falar em sal, alguns lugares do mar Morto apresentam formações de rochas de sal. Será que isso tem alguma ligação com o que aconteceu com ela?

A vantagem de ser espiritualmente consagrado

V-27,28.
No dia seguinte Abraão, ansioso por conhecer o resultado de sua intercessão, se levantou na madrugada e foi até o lugar onde havia falado com Deus. Queria continuar orando e intercedendo.

Que contraste! Enquanto Ló estava fugindo da destruição e perdia tudo o que possuía, Abraão experimentava a paz, de seu lugar de comunhão com Deus.

Aqui fica evidente a vantagem de ser espiritualmente consagrado. O salvo só tem a perder quando se embaraça com este mundo. Podemos notar também aqui, o poder da oração intercessora.

Se não fosse a intercessão de Abraão, a esposa de Ló não teria virado sal por sua desobediência, mas ela e sua família, teriam virado pó, juntamente com toda a Sodoma.

O assombro de Abraão

Contudo, grande foi seu desengano quando olhou na direção de Sodoma e Gomorra e viu que daquelas bandas, subia muita fumaça.

Em nenhum lugar da Bíblia aparece a habilidade, a genialidade e a inspiração do autor sagrado (Moisés) de maneira mais dramática do que nesses dois versículos. Que quadro eles apresentam! Não nos dizem que pensamentos devem ter surgido na mente do grande patriarca, mas podemos imaginar algo como:

Não havia nem dez almas justas em Sodoma? O que aconteceu com Ló? Quão completa foi a destruição? Quão terrível é o julgamento de Deus sobre o mal! 

No entanto, todas as respostas pareciam estar naquela terrível nuvem de fumaça que pairava sobre toda a planície. Na solidão da fé, Abraão aparece aqui, assombrado, atordoado, sem palavras e de luto pelo destino de uma cidade que ele procurara salvar através da oração. Não é mencionado, mas ele deve ter caído de joelhos.

V-29.
E assim, além da desobediente esposa de Ló, o que resultou em sua morte, Deus também destruiu todas as cidades do vale. No entanto, Deus se lembrou da intercessão de Abraão e fez com que Ló escapasse da destruição das cidades onde havia morado. Acima de tudo, este versículo declara que o livramento de Ló estava ligado ao relacionamento entre Deus e Abraão.

Em Cristo;


Número de visualizações do artigo: 48