Gênesis 19:16-23 – Ló finalmente foge de Sodoma.


Gênesis 19:17-23 - Ló finalmente foge de Sodoma.

Ló finalmente foge de Sodoma e deixa para trás sua antiga vida em Sodoma. Em contrapartida, os anjos pareciam muito mais preocupados em fugir da cidade do que Ló e sua família. Isso é estranho, mas comum em coisas espirituais.

A dificuldade de largar as coisas do mundo

V-17
Vimos no estudo anterior, que tendo obtido a prova da perversidade dos sodomitas, os anjos logo se identificaram a Ló como emissários da parte do SENHOR para destruir aquele lugar e, mandaram que ele e sua família se apressassem em fugir para o monte, fora da planície.

No entanto, Ló procurou convencer os noivos de suas filhas a irem também, mas eles acharam isso ridículo. Já ao amanhecer, os anjos forçaram Ló, sua esposa e suas duas filhas a saírem, porém relutaram mais um pouco, talvez porque ali se encontrava seu tesouro.      

O SENHOR assim se mostrou misericordioso para com ele, superando sua demora em obedecer. Então um dos anjos disse a Ló:

– Agora corra e salve a sua vida rapaz! Más não olhe nem para trás, muito menos, pare neste vale. Fuja para a montanha o mais rápido possível; se não, você vai morrer.

Se os anjos tivessem concedido a Ló o tempo que ele precisava, ele e sua esposa teriam encontrado dificuldades cada vez maiores para saírem com a fortuna acumulada durante toda uma vida em Sodoma.

Nesse sentido, correria até o risco de tomarem a decisão de ficar. Sua única segurança residia numa ruptura completa e imediata com as coisas que amarravam seu coração a Sodoma. Assim acontece conosco nos dias de hoje.

Ló tenta barganhar com os anjos

V-18-21
Mas Ló respondeu:
– Senhor, não me obrigue a fazer isso, por favor!

Ló parecia patético e choramingador em sua oração, especialmente em contraste com a ousada intercessão de Abraão em Gênesis 18.

Por outro lado, ao invés de cooperar alegremente com o plano de Deus para a preservação de sua vida, Ló abusou da grande misericórdia de Deus.

_ O senhor me fez um grande favor e teve pena de mim, salvando a minha vida. Mas a montanha fica muito longe daqui e a destruição vai me alcançar e acabar comigo antes que eu chegue lá.

Referindo-se à suposta impossibilidade de escapar para às montanhas, Ló rogou pedindo permissão para refugiar-se na pequena cidade vizinha de “Bela”, chamada depois Zoar, “pequena”, neste relato.

– Está vendo aquela cidadezinha ali? Ela fica perto. Deixe que eu fuja para lá a fim de salvar a minha vida.

Veja que é uma cidade bem pequena. Todavia, Ló não estava disposto em deixar à comodidade e o luxo da vida que levava, para uma mudança que lhe parecia começar a partir de então.

Então o anjo disse:
– Está bem; concordo. Eu não destruirei aquela cidade.

V-22,23
– Agora vá depressa, pois eu não poderei fazer nada enquanto você não chegar lá.

Então, finalmente Ló foge de Sodoma, deixando com pesar suas posses.

Eu fico perplexo com a estupidez e a lentidão de Ló. Ainda pensando em conforto físico, ele desejou ir para uma pequena cidade em vez de ir para as montanhas.

Será que ele nunca parou para considerar que Deus sabia o que era melhor? Ao invés de mais uma vez fazer suas escolhas pessoais, por que não perguntou ao anjo, para onde desejava que ele fosse com sua família? Por que é tão difícil lembrar da vontade de Deus nessas horas?

A paciência de Deus é bem evidente neste caso. O Senhor concordou com o pedido de Ló e poupou a cidade pequena por causa dele. Talvez nós devêssemos refletir mais a respeito da paciência de Deus para conosco.

Em Cristo;


Número de visualizações do artigo: 71