Gênesis 26: 23-33 – O pacífico e abençoado Isaque


Gênesis 26: 23-33 - O pacífico Isaque

Veremos aqui (gênesis 26: 23-33), O pacífico e abençoado Isaque, com seu comportamento cristão ao tratar os filisteus, e também as bençãos de Deus vindas através de um juramento entre Isaque e Abimeleque.

O pacífico Isaque

V-23. Por alguma razão que não se explicou, Isaque se mudou para o norte após um tempo e se estabeleceu em Berseba, lugar onde Abraão e o Abimeleque do seu tempo, haviam feito um juramento de cooperação mútua no passado.

Foi neste lugar que Abimeleque havia concordado, que um poço que havia ali, pertencia a Abraão.

Talvez seja por isso que Isaque escolheu este lugar. Mas para sua surpresa, também esse poço havia sido enchido de entulho pelos famigerados filisteus. Eita raça ruím.  

V-24. Isaque sabia que Deus havia prometido dar a terra prometida a seu pai Abraão (Gênesis 26: 3-5). Por isso, creio que ele finalmente viu que, através de toda a oposição sobre os poços que cavara, Deus o guiara de volta à terra da promessa, de volta àqueles lugares onde Abraão havia caminhado em comunhão com Deus. 

Pessoalmente, acredito que Isaque foi até Berseba porque sentiu em nível espiritual que era ali que Deus queria que ele estivesse. Se Deus já estava “dirigindo” Isaque através da oposição, agora ele estava disposto a ser liderado por Deus. A decisão mostrou ser a correta, pois Deus imediatamente falou palavras de segurança:

– Eu sou o Deus de Abraão, o seu pai. Não tenha medo, pois eu estou com você. Por causa do meu servo Abraão, eu abençoarei você e farei com que os seus descendentes sejam muitos.

Abraão, pai de Isaque, teve muitas experiências com o senhor. Mas, esta parece ser a primeira experiência desse tipo.

Berseba foi o primeiro lugar que Abraão foi com Isaque depois que eles desceram do “sacrifício” no Monte Moriá (Gênesis 22:19). 

V-25. Isaque construiu um altar ali e adorou a Deus, o SENHOR. A seguir, ele armou sua tenda e mandou seus servos desentupirem o poço.

As necessidades espirituais são primárias

Há uma grande lição de fé e orientação aqui. O lugar para onde o povo de Deus deve estar, é o lugar da presença de Deus. Não o da prosperidade financeira. O lugar da intimidade, adoração e comunhão com Deus é o lugar para se permanecer. 

Lá devemos morar, e então poderemos ter certeza da provisão de Deus para nossas necessidades. Da mesma forma como fez Isaque, as necessidades materiais são, portanto, consideradas por último, enquanto as necessidades espirituais são primárias.

É preciso coragem para tomar uma decisão como essa.

Mas busque primeiro o seu reino e a sua justiça; e todas essas coisas serão adicionadas a você (Mateus 6:33).

O trato de Isaque com os filisteus

V-26. As bênçãos de Deus na vida de Isaque eram tão perceptíveis que os Filisteus começaram a temer isto. Certo dia Abimeleque saiu de Gerar e foi conversar com Isaque.

Com ele, foram os seus amigos Auzate e Ficol, o comandante do seu exército. Isaque se surpreendeu ao vê-los, depois do que havia sucedido anteriormente, mas era evidente que Abimeleque temia possíveis represálias por parte de Isaque por causa das ofensas que havia recebido do seu povo.

V-27-30. Isaque perguntou:

– Por que é que vocês vieram falar comigo, vocês têm ódio de mim e até me expulsaram da sua terra?

Eles responderam:

– Agora nós sabemos que o SENHOR Deus está com você e pensamos que deveríamos fazer um trato com você, selado com juramento.

O trato é este:

– Você não nos fará nenhum mal, assim como nós não fizemos nenhum mal a você. Nós fomos bondosos para você e deixamos que fosse embora em paz. Agora está claro que o SENHOR o tem abençoado.

Todavia, vemos que este tratado na realidade era uma renovação do tratado original entre Abraão e o Abimeleque anterior de Gerar. Eles propuseram esta aliança de paz com ele, porque temiam pela própria segurança.

Apesar da injustiça que Isaque tinha sofrido nas mãos deles, sendo ele um homem amante da paz, ficou contente em fazer um novo pacto de amizade com Abimeleque.

Então Isaque preparou um banquete, e todos eles comeram e beberam…

O que provocou essa mudança nos filisteus?

Vamos ser sinceros, a situação era incomum. Quando Isaque estava em contato muito próximo com Abimeleque e os filisteus, a resposta dos filisteus foi inveja e animosidade. Não havia nenhum temor da parte deles.

Agora eles estavam dispostos a percorrer todo esse caminho simplesmente para entrar em um tratado com Isaque. O que provocou essa mudança de coração e mente?

Bem, a conduta de Isaque enquanto estava com eles era tal que seu testemunho estava longe de ser excelente. A começar pela mentira sobre sua esposa, passando-a como sua irmã. 

Os filisteus não podiam imaginar que sua prosperidade fosse o resultado de bênção divina, mas atribuíam isso apenas à boa sorte. 

Agora que as prioridades de Isaque foram mudadas e sua vida operando segundo diretrizes espirituais, a bênção de Deus era evidente. 

A aliança que Deus havia feito com Abraão foi entendida, pelo menos de maneira prática, como tendo passado para seu filho. Abimeleque percebeu que a mão de Deus estava sobre Isaque.

Depois de terem sido tão maldosos com Isaque, provavelmente temeram que ele se vingasse a qualquer momento.

O feito foi um sucesso

V-31. No dia seguinte eles se levantaram bem cedo e fizeram um juramento, e cada um fez o seu juramento semelhante àquele firmado entre Abimeleque e Abraão.

Depois disto os três voltaram para Gerar sem maiores problemas e o mais importante, como amigos de Isaque.

V-32,33. A seguir, os servos de Isaque lhe informaram de seu sucesso em abrir o poço que estava entulhado.

Como gostava de dar nome a tudo, Isaque lhe deu o nome de Berseba, que significa “juramento”, em comemoração ao tratado com Abimeleque.

Embora não mencionada no Novo Testamento, Berseba ainda existe até os dias de hoje, ela é chamada pelos palestinos árabes de Bir-es-Seba, “poço dos sete”; ali existem dois poços principais e cinco menores. Está quase no meio entre o mar Mediterrâneo e o mar Morto.

Portanto, vemos neste estudo o caráter pacífico e generoso de Isaque, um exemplo para nós, pois a Palavra de Deus nos manda que se possível, devemos viver em paz com todas as pessoas.

Em Cristo


Número de visualizações do artigo: 75