Levítico 2:1 – O presente minhah


O presente minhah

Levítico 2:1

V:1
Até o momento o Senhor havia dado instruções para a apresentação do Holocausto que era um tipo de oferta que Deus aceitava como o pagamento dos pecados.

Vamos estudar hoje sobre outro tipo de oferta…

A oferta de homenagem a Deus, chamada minhah, que significava; um presente apresentado a um superior.

Esta oferta podia ser apresentada por qualquer pessoa que desejasse fazer uma homenagem a Deus.

Lembram do presente que Jacó deu a Esaú? Era um minhah.

Também foi um presente minhah que os irmãos de José lhe levaram ao Egito.

Também se usava essa palavra para indicar o tributo pago por povos vencidos, estes presentes indicavam submissão e dependência.

No monte Sinai, o minhah passou a ser a designação oficial de um presente a Deus, uma oferta feita como homenagem, em reconhecimento da superioridade daquele a quem se a dava.

Indicava que o homem dependia de Deus para receber todas as coisas boas da vida; reconhecia a Deus como dono e doador.

Algumas vezes apresentavam como uma oferta a parte, mas geralmente ofereciam junto com o holocausto.

Neste caso o minhah era uma oferenda de cereais, de farinhas preparadas em diversas formas.

Você pode estar se perguntando… Por que um cereal?

Então me acompanhe nesta análise;

A farinha é o produto da cooperação entre Deus e os homens.

A parte de Deus nesta cooperação é colocar o princípio de vida na semente, dar sol e chuva, e a fazer crescer, certo?

Em contra partida o homem semeia a semente, cuida, colhe, mói para fazer a farinha, e logo apresenta esta farinha diante do Senhor, e depois a prepara em diversas formas.

É a soma da dádiva original de Deus mais o trabalho do homem.

É o símbolo de nossas vidas, talentos e bens  aperfeiçoados e consagrados.

Deus dá a cada um de nós talentos segundo a capacidade que temos para empregá-los.

Deus não se alegra quando os homens só lhe devolvem a quantidade de semente que lhes foi confiada.

Deus quer que os homens semeiem a semente, cuidem, colham, depois a moam, extraindo dela o melhor e logo apresentem a Deus como uma farinha de excelentíssima qualidade.

Deus dá a cada um de nós a oportunidades conquistar um bom emprego e espera que colhamos o melhor dele para o apresentarmos a Deus…

Deus dá a cada um de nós a oportunidade de abrir um negócio, construir uma casa, comprar um carro… E espera que colhamos o melhor destes…

Ou seja, Deus espera que cada talento, bens materiais e oportunidades sejam melhorados, refinados e enobrecidos.

Ao apresentar tal oferta, o homem admite ser somente um mordomo das coisas que Deus lhe tem confiado.

Em Cristo!

A seguir: A sobra das ofertas


Número de visualizações do artigo: 8