Números 6:1-21 – Os Nazireus


Os Nazireus

Números 6:1-21
Deus chamou Moisés para dar a ele mais algumas instruções;
_ Moisés?
_ Estou aqui Senhor!
_ Quero lhe falar sobre os nazireus…
_ O que são os nazireus?
_ Chamarei de nazireus, um grupo de pessoas que voluntariamente queiram se dedicar exclusivamente ao Senhor seu Deus.

_ E o que farão essas pessoas?
_ O homem ou a mulher que decidir tornar-se nazireu não poderá tomar vinho, nem suco de uva, nem poderá comer uvas frescas ou passas.
_ Entendi…
_ E durante todo o tempo em que for nazireu, não poderá comer nada que venha da parreira, e nenhuma lâmina será usada em sua cabeça.

_ Ah, então quer dizer que a pessoa não vai ser nazireu para sempre?

_ Só se quiser. Até que termine o período de sua separação para o Senhor ele estará consagrado.
_ Entendi. É um trabalho voluntário, certo?
_ Isso mesmo. Os nazireus também não cortarão o cabelo nem a barba, e não poderão em hipótese alguma tocar ou se aproximar de cadáveres.
_ Certo. E com relação aos cadáveres, se for por exemplo o corpo de seus pais?
_ Mesmo que o seu próprio pai ou mãe ou irmã ou irmão morra, ele não poderá tornar-se impuro por causa deles, pois traz sobre a cabeça o símbolo de sua separação para Deus.
_ E se acontecer de sem querer ele se aproximar do cadaver de alguém?
_ Se alguém morrer repentinamente perto dele, contaminando assim o cabelo que consagrou, ele terá que rapar a cabeça sete dias depois, dia da sua purificação.
Estas exigências particulares parecem traduzir os seguintes princípios: manter-se mentalmente são (“abster-se de vinho e de bebida fermentada”) e em sujeição a Deus (simbolizado pelo não cortar o cabelo) e manter-se cerimonialmente puro (não tocar em cadáveres).
Deus continuou explicando a Moisés o que o nazireu deveria fazer quando acabasse o tempo de sua dedicação, e o que deveria trazer como ofertas para o Tabernáculo.
Sansão (Juízes 13:4-7, 16, 17) e Samuel (I Samuel 1:11) eram nazireus desde o nascimento.
Sansão foi o nazireu mais famoso.
João Baptista teria sido também um nazireu, embora o Novo Testamento nunca se refira a ele usando diretamente este termo.
O apóstolo Paulo, junto com outros cristãos, fizeram também um voto temporário de nazireato. (Atos 18:18; 21:23-26).
É isso, por hoje é só.
Na próxima postagem, falaremos sobre a benção sacerdotal.
Até lá.

Em Cristo!

A seguir: A Benção Sacerdotal



Número de visualizações do artigo: 14