“Pela primeira vez na história da Igreja Católica, um Papa renuncia por motivo de saúde”…


Parafraseando William Shakespeare: “Há algo de estranho no reino do Vaticano”

A decisão do Papa Bento XVI nesta segunda-feira (11) pegou todo o mundo de surpresa. Para o pesquisador do CNPQ, Francisco Carlos Teixeira, uma renúncia alegando a idade ou mesmo a saúde é inédita. Afinal, todos os papas morreram na baga: João XXIII por exemplo, teve uma agonia longuíssima e dolorosa mas não largou o osso e João Paulo II estava muito velho e doente no final do seu mandato.

Já o porta-voz do Vaticano disse que o Papa Bento XVI não sofre de nenhuma doença específica e sua decisão de renunciar foi tomada sem pressão externa.
Segundo o pesquisador Francisco Carlos Teixeira, a determinação do Papa em renunciar, cria uma situação embaraçosa para um dos principais dogmas da Igreja Católica: 

“A infalibilidade papal”.

Este dogma foi estabelecido logo depois da reforma protestante, dizendo que o Papa é infalível, ou seja ele tem o dogma da:

“A infalibilidade papal”.

O que significa que um papa não comete erros, não comete pecados. Veja Romanos 3:23
Mas o que me surpreendeu foi o que o papa escreveu um dia antes de divulgar sua renúncia, Bento XVI fez um post em seu perfil no Twitter (e veja que esse papa também é pop), no qual dizia que “Devemos confiar no poder da misericórdia de Deus. Somos todos pecadores, mas Sua graça nos transforma e renova”. O religioso criou seu perfil no Twitter há dois meses apenas. Mas voltemos ao tema da:

“A infalibilidade papal”…

Um artigo do site voz da igreja, explica que a doutrina da infalibilidade não, diz que o Sumo Pontífice é um homem perfeito, que nunca erra e não peca, por ser Papa. O que a doutrina da infalibilidade do Papa afirma é que o Papa é infalível, que não erra, quando fala nas condições “Ex Cathedra”.

O que significa isto? 


Ex Cathedra (do latim) quer dizer, literalmente, “da Cadeira” ou “do Trono”. Quer dizer que o Papa é infalível, ou seja sem pecado, quando se pronuncia a partir do Trono de Pedro, como Sumo Pontífice, isto é, como líder e condutor de toda a Igreja, afirma o site neste artigo. 

Agora sim, eu acho que entendi… Quer dizer que o poder não está na pessoa do papa, mas  no trono? É isso?

Bom, vamos mudar de assunto?

O irmão do Papa, Georg Ratzinger, declarou nesta segunda-feira à AFP que ele sabia há alguns meses que Bento XVI pretendia anunciar sua renúncia devido à idade avançada.


Hum…???


Para o Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, os casos de pedofilia dentro da igreja, as polêmicas envolvendo outras religiões e as posições conservadoras sobre temas tabus como aborto e casamento entre gays que marcaram os sete anos de pontificado do papa Bento XVI, foram os  fatores colaboraram para a decisão do pontífice de abandonar o posto mais alto da Igreja.
“Não vou dizer que foi decisivo, mas acredito que isso colaborou. O cargo que ele ocupa é pesado e quanto mais problemas se enfrentam mais difícil fica sendo a missão. Tudo isso pode ter ajudado para a decisão. Esperar que um homem de 85 anos enfrente isso tudo com vigor é difícil”, disse  Krieger em entrevista ao Correio 24 horas, por telefone.
Todas estas declarações e suposições, só fazem o caso ficar cada vez mais, intrigante, misterioso e confuso. 

O que será que se passa na cabeça do papa Bento XVI? Qual o verdadeiro motivo de tal crise? O que isso tem a ver com o fim do mundo? Porque estou escrevendo um artigo como este em meu blog? Hã? Hã?

Melhor eu continuar focado no estudo de Juízes…

Até a próxima postagem…

Em Cristo!

Obs.
Este artigo é patrocinado pelo Clube Ganhar Dinheiro
Um site que disponibiliza um treinamento completo para quem quer empreender pela internet, trabalhando em casa. Acesse o treinamento grátis. 

Número de visualizações do artigo: 10