Juízes 20:38-48 – A tribo de Benjamim é quase totalmente dizimada


A tribo de Benjamim é quase totalmente dizimada

O exército israelita e os 10 mil homens que estavam escondidos tinham combinado um sinal: quando vissem uma grande nuvem de fumaça subindo da cidade, os israelitas que estavam fora, recuando no campo de batalha, deviam dar meia-volta e atacar.
Até aquele momento os benjamitas já haviam matado uns trinta israelitas e achavam que já havia os derrotado, como das outras vezes.  
Então o sinal apareceu: uma nuvem de fumaça começou a subir da cidade.
Os benjamitas olharam para trás e ficaram muito espantados quando viram a cidade inteira pegando fogo.  
Eles devem ter batido na testa da própria incompetência: estavam sendo vítimas de uma tática antiquíssima, utilizada com sucesso quando da tomada de Ai.
Então os homens de Israel deram meia-volta, e os benjamitas ficaram apavorados porque reconheceram que haviam sido enganados, eles estavam entre duas partes do exército de Israel e suas chances de fuga foram reduzidas.
Eles fugiram e correram na direção do deserto, mas não puderam escapar.
Foram cercados pela maior parte do exército israelita e também pelos soldados que vinham da cidade e foram destruídos.  
Dezoito mil dos melhores soldados benjamitas foram mortos.  
Os outros fugiram na direção do deserto, para a rocha de Rimom.
Mas de nada adiantou a fuga, pois os israelitas estavam com sede de vingança e cinco mil foram mortos nas estradas.
Os israelitas perseguiram o resto e assim mataram mais dois mil homens.  
Ao todo vinte e cinco mil benjamitas foram mortos naquele dia, todos eles soldados valentes.  
Porém seiscentos homens fugiram para o deserto, para a rocha de Rimom, e lá ficaram escondidos por quatro meses.  
Os israelitas ainda queriam ver mais sangue e então atacaram o resto dos benjamitas e os mataram, tanto homens como animais, e destruíram tudo o que encontraram pela frente.
E queimaram todas as cidades da região.  
Não havia nenhuma razão para matar sem discriminação aos não combatentes e remanescentes que fugiram do exército.
O pecado dos homens de Gibeá já tinha sido punido…
Eles poderiam prender aqueles que tinham cometido o crime a punir.
Gibeá já estava em ruínas e isso deveria ter sido suficiente.
Não há desculpa para o extermínio cruel de toda a tribo…
No entanto, o frenesi de batalha desperta paixões em homens irracionais que levam a cabo o que em sã consciência jamais faria.
Principalmente neste momento em que não tinham um líder excepcional para guiá-los na vontade de Deus.
É isso o que acontece quando se está longe de Deus, por causa de um crime hediondo, quase uma tribo inteira foi dizimada.
Tempos difíceis aqueles…
Em Cristo!

Número de visualizações do artigo: 10