1 Samuel 14: 33-43 – Jônatas corre risco de vida por conta das promessas sem pé nem cabeça de Saul


Como vimos na postagem anterior, Saul ficou furioso ao saber que seus soldados haviam comido carne com sangue.

Jônatas corre risco de vida por conta das promessas sem pé nem cabeça de Saul

Como vimos na postagem anterior, Saul ficou furioso ao saber que seus soldados haviam comido carne com sangue.

Então rolou uma pedra para fazer um altar e disse:

– Vão para o meio do exército e digam a eles que tragam aqui o seu gado e as suas ovelhas. E que os matem e os comam aqui.

– Certo majestade!

– E que não pequem contra Deus, comendo carne com sangue. 


Por isso, naquela noite, todos trouxeram o seu gado e o mataram ali.  

Depois disso Saul teve uma ideia…

– Vamos descer de noite e atacar os filisteus. Até o amanhecer nós tomaremos tudo o que eles têm e não deixaremos nenhum filisteu vivo. 

Seus homens responderam: 

– Faça o que sua majestade achar melhor.

Só que o sacerdote Aiás achou ruim e propôs que se fizesse uma consulta a Deus antes, para saber se ele aprovava o ataque. 

Evidentemente, acreditava que o rei estava errado em não procurar aconselhamento divino mais cedo naquele dia (1 Samuel 14: 18, 19) .

Saul não viu nada de mais, então perguntou a Deus se deveria atacar os filisteus e se seriam vitoriosos.

– Devo atacar os filisteus meu Senhor? 

Tu darás a vitória ao povo de Israel? 

Mas naquele dia Deus não respondeu nada.

Era noite, e na manhã seguinte ainda não havia qualquer resposta. 

Então Saul disse aos oficiais: 

– Venham aqui e descubram que pecado foi cometido hoje, só pode ser isso, Deus não me respondeu até agora!

– É prá já majestade!


– Eu prometo pelo SENHOR, o Deus vivo, o Salvador de Israel, que, mesmo que o culpado seja o meu filho Jônatas, eu o matarei. 


Mais uma das promessas sem pé nem cabeça de Saul…

Silencio total no acampamento. 

Ninguém comentou nada.  

Por que Saul não disse, “ainda que seja o rei?” 

Saul chegou à conclusão de que ele era o único que não havia pecado no acampamento. 

Então Saul ordenou: 

– Fiquem todos de um lado. Eu e o meu filho Jônatas ficaremos do outro. 

Então Saul disse ao SENHOR, o Deus de Israel: 

– Ó Deus, por que não me respondeste hoje? Ó SENHOR, Deus de Israel, responde por meio do sorteio. Se a culpa for minha ou de Jônatas, responde pela pedra marcada Urim; mas, se a culpa for de Israel, o teu povo, responde pela pedra marcada Tumim. 

E a resposta indicou Jônatas e Saul e não os soldados.  

Então Saul disse: 

– Façam o sorteio para saber se a culpa é minha ou do meu filho Jônatas. 

E Jônatas foi indicado.  

Então Saul perguntou: 

– O que foi que você fez meu filho? 

– Eu comi um pouco de mel que tirei com a ponta do bastão que eu tinha na mão! 


– Perdeu o juízo, meu filho!


– Pois é meu pai, agora estou aqui, pronto para morrer pode me matar!  


Uma mente inquiridora poderia perguntar: 

Já que Jônatas era inocente e Saul muitas vezes deu clara evidência de sua culpa, porque Deus permitiu que a culpa recaísse sobre Jônatas e não sobre Saul?

Respostas na próxima postagem!

Em Cristo!

Gostou deste artigo? Então por gentileza, deixe um comentário!


Número de visualizações do artigo: 70