1 Samuel 14:44-52 – Jônatas é defendido pelos soldados israelitas das mãos de Saul


Certamente Deus não tinha aprovado o juramento de Saul, e com certeza absoluta não concordava com a execução de Jônatas.

Jônatas é defendido pelos soldados israelitas das mãos de Saul

Certamente Deus não tinha aprovado o juramento de Saul, e com certeza absoluta não concordava com a execução de Jônatas.

Na frente de Samuel, Saul tinha justificado a sua conduta de aberta rebelião, mas Jônatas dá uma lição a seu pai, pelo seu comportamento naquele dia ao submeter a julgamento apressado de seu pai.

Com aparente facilidade que Saul entregou o veredito! 

Enquanto Jônatas reconheceu sua transgressão cerimonial, uma oferta expiatória teria sido suficiente para perdoá-lo.

Mas Saul estava decidido a matar seu próprio filho.

Mas os soldados ficaram revoltados:

– Não faça isso ó rei Saul!

– Como?


– Não vamos permitir que o senhor o mate! Jônatas, que deu esta grande vitória ao povo de Israel, não deve morrer. 


– Mas que petulância da parte de vocês!


– Nós prometemos pelo SENHOR, o Deus vivo, que ele não vai perder nem um fio de cabelo. 


O que ele fez hoje foi conseguido com a ajuda de Deus. 

E assim os soldados salvaram Jônatas da morte. 

Depois dessa, Saul tirar umas férias e parou de perseguir os filisteus, e eles voltaram para a sua terra.  

Depois que se tornou o rei de Israel, Saul ainda lutou contra todos os povos vizinhos que eram seus inimigos.

E em toda parte em que lutava era vitorioso.  

Durante toda a sua vida Saul lutou ferozmente contra os filisteus. 

E, sempre que encontrava um homem forte e valente, ele o alistava no seu exército.

Nos últimos versículos deste capítulo, a ênfase é colocada no progresso material do reinado de Saul em vez do espiritual. 

Saul parecia regozijar-se com o seu gênio militar. 

Em vez de proteger os direitos de seu povo, tomou a ofensiva contra as nações vizinhas para aumentar a sua própria reputação como rei.

Em Cristo! 


Número de visualizações do artigo: 78