I Samuel 20: 1-18 – Jônatas e Davi tem um plano!


Vendo seu maior inimigo totalmente desprotegido no chão, pelado e profetizando, Davi concluiu que era uma boa oportunidade para sair de Ramá. Foi então falar com seu amigo Jônatas:

Jônatas e Davi tem um plano!

Vendo seu maior inimigo totalmente desprotegido no chão, pelado e profetizando, Davi concluiu que era uma boa oportunidade para sair de Ramá. Foi então falar com seu amigo Jônatas:

– Jônatas meu amigo, o que faço? Seu pai foi até Ramá atrás de mim.

– Meu pai não tem mais jeito mesmo!


– Eu não entendo Jônatas… Por que seu pai me odeia tanto, hein? O que foi que eu fiz pra ele?

– Eu não sei meu amigo, mas oro para que Deus não permita que você morra, Davi!

– Obrigado meu amigo.


– Sabe Davi, eu acho estranho ele ter ido até Ramá sem me dizer nada. Ele sempre me fala o que pretende fazer, por menos importante que seja.

– Ele não fala porque sabe o quanto você gosta de mim. Tô perdido, estou à beira da morte.

– Calma Davi.

– COMO CALMA, ME AJUDE, AMIGO!


– Mas como posso lhe ajudar? Me dá uma ideia.


– Hum… Amanhã é Festa da Lua Nova, não é?


– É, é sim. Por quê?


– Porque justamente numa festa assim que eu sou esperado no palácio, para me sentar ao lado do rei e tal.


– Sim, prossiga…


– Então. Acontece que eu não vou à festa. Vou me esconder no campo e ficar esperando por você.


– Tá bom e o que eu faço?


– Se seu pai notar minha ausência, você vai dizer a ele que eu pedi licença para ir a Belém visitar minha família. Mas na realidade eu vou estar escondido no campo.


– Entendi…


– Então. Você só vai dizer isso para ver qual será a reação do seu pai. Se ele disser que está tudo bem, então estará tudo bem mesmo. Mas se ficar com raiva, isso significa que ainda quer me matar. Entendeu?


– Entendi. Venha comigo, vamos até o campo. 

Eles foram, e Jônatas disse a Davi: 

– Que o SENHOR, o Deus de Israel, seja nossa testemunha. Amanhã e depois de amanhã, a esta hora, eu vou fazer algumas perguntas ao meu pai. Se a intenção dele para com você for boa, eu lhe mandarei dizer, fique tranquilo.

– Ok amigo.

– Mas, se ele tiver a intenção de fazer alguma coisa contra você, que o SENHOR Deus me mate se eu não enviar uma mensagem a você e não deixá-lo ir embora são e salvo! Que o SENHOR esteja com você, assim como esteve com o meu pai!

– Você pode fazer isso mesmo? Pensa bem, Jônatas. Eu estou pedindo para você trair seu pai.


– Calma Davi, isso não chega a ser assim uma traiçãããão.


– Tem certeza de que quer mesmo fazer isso? Você podia muito bem me matar agora. Seu pai ia te recompensar muito bem.


– Que é isso? Tá maluco Davi. Eu sou seu amigo, esqueceu? Você é o melhor amigo que já tive.


– Você também meu amigo. 


– Davi, se por acaso, depois destes problemas, eu continuar vivo, cumpra a sua promessa sagrada e seja fiel a mim. Mas, se eu morrer, trate sempre a minha família com bondade. E, quando o SENHOR destruir completamente todos os nossos inimigos, que nós não quebremos a promessa que fizemos um ao outro. Se você a quebrar, Deus o castigará.


– Pode confiar em mim, amigo.

Novamente Jônatas fez um juramento de amizade a Davi, pois ele amava Davi como a si mesmo.

– Fique tranquilo, jamais me esquecerei de você. Mas e aí, como é que você vai me avisar do estado de espírito do seu pai?


– Hum. Tá vendo aquelas pedras ali?


– Sim.


– Então…


Continua na próxima postagem!


Número de visualizações do artigo: 171