2 Samuel 2:17- 32 – Dois carecas brigando por um pente!


2 Samuel 2:17- 32 – Dois carecas brigando por um pente!

Asael persegue Abner

Definitivamente, eu acredito que algumas competições tolas, como “dois carecas brigando por um pente”, resultam em conflitos e divisões incoerentes. Foi o que aconteceu com Joabe e Abner.

Depois de um duelo para lá atrapalhado, Joabe lançou-se com seus homens contra Abner. Porém, o exército de Israel já não era mais o mesmo dos tempos de Saul, e aqueles homens foram facilmente derrotados por Joabe.

É importante saber que, Além de Joabe, seus dois irmãos, Abisai e Asael estavam lá, os três eram filhos de Zeruia, (irmã de Davi).

No confronto, os homens de Abner que não morreram bateram em retirada. Vendo aquilo, Joabe e seus irmãos (Abisai e Asael) saíram correndo atrás do general Abner. 

No entanto, Joabe e Abisai já cansados, ficaram para trás, mas Asael que era rápido feito uma gazela, não desistiu, pois queria a fama por caçar Abner, e logo chegou nos calcanhares do fugitivo.  Rapidamente, Abner, sentido em seu cangote e respiração ofegante de Asael, perguntou:

— Asael, é você?

— Sim, sou eu! – respondeu ele.  

— Pare de me perseguir garoto! – disse Abner.

— Corra atrás de um dos soldados e pegue para você as coisas dele.  

Asael nem levou em conta a proposta: continuou correndo. Vendo que ele estava perigosamente perto, Abner tentou convencê-lo mais uma vez:  

— Pare de me perseguir! Você está me forçando a matá-lo! Como é que eu poderei, depois, olhar o seu irmão Joabe nos olhos?  

A ambição tola de Asael

Parece que Asael perseguiu Abner em parte, pela glória de matar o comandante do exército de Isbosete e pegar sua armadura como troféu.  

Asael era rápido e forte, mas muito ansioso e inconsequente, por isso continuou não dando ouvidos, achando que seria uma caçada muito fácil.   

Então Abner, combatente experimentado, sabendo da vulnerabilidade de Asael, deu um golpe seco para trás com sua lança, ferindo o rapaz na altura da quinta costela, atravessando as costas.   

Dessa forma, ele caiu morto no chão, e todos os que chegavam paravam no lugar onde ele estava caído.

Joabe quer vingar a morte do irmão

Claramente, Abner matou Asael em legítima defesa, afinal, era a única coisa que ele podia fazer.   

No entanto, sua preocupação revelada a Asael, “como então eu poderia encarar seu irmão Joabe”, foi inteiramente justificada,  

Furiosos, Joabe e seus soldados continuaram a perseguição. Agora, eles possuem uma nova motivação, a vingança pela morte de seu Asael.  

Assim correram até o crepúsculo, quando chegaram ao monte Amá, na estrada que ia para o deserto de Gibeão.   

Abner tratou logo de subir até o alto do morro, e aos poucos seus homens reuniram-se em volta dele novamente. Então Abner gritou para Joabe, que só agora chegara ao pé do morro:  

— Será que vamos ter de continuar lutando para sempre? Você não vê que, no fim, não vai sobrar nada, a não ser amargura? Nós somos seus irmãos! Até quando você vai esperar para mandar que os seus soldados parem de nos perseguir? Joabe respondeu:  

— Juro pelo Deus vivo que, se você não tivesse falado, os meus soldados continuariam a perseguir vocês até amanhã cedo.  

Joabe concordou com esse cessar-fogo, provavelmente para descansar o exército exausto e evitar uma longa e sangrenta guerra civil.  

Então Joabe tocou a corneta e imediatamente, todos os seus soldados pararam de perseguir os israelitas, e a luta acabou.  

Durante toda aquela noite, Abner e os seus soldados marcharam pelo vale do Jordão. Atravessaram o rio Jordão e, depois de marcharem toda a manhã do dia seguinte, chegaram à cidade de Maanaim.   

Quando Joabe parou a perseguição, reuniu todos os seus soldados e viu que estavam faltando dezenove, além de Asael.   

O saldo de uma guerra quando dois carecas brigam por um pente

Satisfeito com tanta sanguinolência e por ter conseguido iniciar uma guerra, Joabe nem mesmo teve tempo para lamentar muito a morte do irmão: foi com Abisai até Belém e lá, no sepulcro paterno, eles sepultaram Asael e depois caminharam a noite toda até Hebrom. 

Porém, os soldados de Davi haviam matado trezentos e sessenta soldados de Abner, todos eles da tribo de Benjamim.   

Portanto, esse é o saldo de uma guerra quando dois carecas brigam por um pente. Afinal, eles não precisavam dessa guerra. E o saldo dessa divisão tola, foi mais uma vez, mortes tolas.  

Como resultado, um reino dividido pode acontecer de maneira rápida e fácil. Aliás, não é preciso muito para transformar a paz em um abismo total. Nesse caso aconteceu por causa de dois homens que lideram dois exércitos concorrentes.   

Abner e Joabe tinham suas próprias agendas, e nenhuma delas eram corretas. É como se esses dois homens estivessem tentando provar o quanto machão poderiam ser, como dois adolescentes.   

O cenário é tal que cada lado se sente obrigado a provar alguma coisa, e a proposta de um duelo bobo chegou a parecer algo inteligente. No entanto, isso não provaria nada. Pelo contrário, isso apenas colocaria em movimento uma guerra em larga escala, que custaria vidas preciosas.  

Dois carecas brigando por um pente, resultam em conflitos incoerentes.

Definitivamente, eu acredito que algumas competições tolas, como “dois carecas brigando por um pente”, resultam em conflitos e divisões incoerentes.  

Da mesma forma, essas divisões acontecem também nos casamentos, porque os maridos e as esposas estão mais preocupados com o ego do que em servir os companheiros. 

Os homens, entram na igreja, em empresas ou qualquer outro projeto, com a intenção de promover seus próprios interesses, construir seus próprios impérios, conquistar e impressionar seus próprios seguidores. No entanto, isso parece forçar as pessoas a escolherem os lados e depois, se engajarem nas batalhas que se seguem.  

Apesar da briga infantil dos dois generais, simultaneamente, Davi está ficando cada vez mais forte.   

Em suma, a crescente força de Davi e a crescente fraqueza da casa de Saul não começaram quando Saul morreu. Acima de tudo, tudo começou quando Deus escolheu Davi e retirou Seu Espírito de Saul (1 Samuel 16: 13-14 ).

Em Cristo!


Número de visualizações do artigo: 44