2 Samuel 7: 18-29 – A oração de agradecimento de Davi


2 Samuel 7: 18-29 -  A oração de agradecimento de Davi

A oração de agradecimento de Davi é o estudo Bíblico e comentário de 2 Samuel 7: 18-29. Os próximos versículos são uma expressão da humildade recuperada de Davi, de sua auto avaliação realinhada.

Davi reconhece sua fraqueza

É incrível como o orgulho e a arrogância distorcem nosso pensamento. Não é de admirar que a humildade seja o ponto de partida, o pré-requisito para a sabedoria (Provérbios 11: 2; 15:33; 18:12; 22:4; 29:13 )

O versículo 18 começa dizendo que Davi entrou na barraca, sentou-se e orou assim:

— Ó Senhor, meu Deus, eu não mereço tudo o que fizeste por mim no passado, e a minha família também não merece. E, como se as bênçãos do passado ainda fossem poucas, agora estás fazendo promessas a respeito dos meus descendentes no futuro. E deixaste um homem ver isso, ó Senhor, meu Deus! O que mais posso te dizer? Tu me conheces, pois sou teu servo. 

Veja que Davi mudou completamente seu ponto de vista. Ele se vê como realmente é aos olhos de Deus. Reconhece sua fraqueza, sua insignificância. Também fica impressionado e maravilhado que Deus escolheria usá-lo. Ele não está empolgado com seu poder como rei de Israel, mas humilhado pela consciência de que Deus o usa como Seu servo. 

A grandeza de Deus

E Davi continua em sua oração:

— Era o teu desejo e propósito fazer isso; e tu me deixaste saber de todas essas grandes coisas. Como és grande, ó Senhor, nosso Deus! Não há ninguém igual a ti; como temos ouvido dizer, somente tu és Deus; não existe outro. Não há nenhuma outra nação na terra como o teu povo de Israel, que libertaste para ser o teu próprio povo. Tu te tornaste famoso e fizeste grandes e maravilhosas coisas por eles. Tu libertaste o teu povo do Egito e expulsaste as outras nações e os seus deuses conforme o teu povo ia avançando. Ó Senhor, tu fizeste com que o teu povo de Israel fosse teu para sempre e te tornaste o seu Deus.

Os versículos 23 e 24 relatam a grandeza de Deus, revelada em Seus atos em nome de Seu povo, Israel. Esses versículos soam notavelmente semelhantes às palavras de Deus por Moisés em Deuteronômio: Deuteronômio 4:7-8, 32-38).

Davi engrandece a Deus

 — E agora, ó Senhor, nosso Deus, confirma a promessa que fizeste a meu respeito e a respeito da minha família e cumpre o que disseste que ia acontecer. A tua fama será grande, e para sempre as pessoas dirão: “O Senhor Todo-Poderoso é o Deus de Israel.” E tu farás com que sempre haja reis entre os meus descendentes. Senhor Todo-Poderoso, Deus de Israel! Eu tenho coragem para te fazer esta oração porque revelaste a mim, teu servo, que farás com que os meus descendentes sejam reis. E mais. Tu, ó Senhor, me fizeste esta maravilhosa promessa, e as tuas promessas sempre se cumprem porque tu és Deus. Eu te peço agora que abençoes os meus descendentes para que eles continuem a ter sempre a tua proteção. Tu, ó Senhor, meu Deus, prometeste isso. Que a tua bênção esteja com os meus descendentes para sempre!

A razão da confiança de Davi é Deus, e não ele próprio. A presunçosa autoconfiança que caracteriza Davi nos primeiros versículos deste capítulo foi substituída por uma humilde confiança, baseada no Deus que a criou. 

Deus prometeu essa coisa boa ao Seu servo (não ao rei). A promessa é clara e é feita por Deus. Qualquer promessa feita por Deus é certa e, portanto, Davi pede a Deus que seja cumprido. Que a promessa seja cumprida pela bênção da “casa” de Davi e que essa bênção venha do Deus de todas as bênçãos. Finalmente, Davi ora para que essa bênção seja eterna. 

Lições Importantes: A primeira lição

O que aprendi nesse capítulo é que mesmo nossas ambições e objetivos mais altos e mais nobres são defeituosos pelo pecado. O desejo de Davi de construir uma casa para Deus é tão grandioso que até Nathan é acolhido por ela. Quem poderia culpar Davi por querer construir uma casa gloriosa para Deus? 

Davi parece ter ficado um pouco surpreso com seus sucessos recentes, com sua própria posição e poder, e até com o esplendor de seu próprio palácio. A resposta de Deus a Davi certamente contém uma repreensão à arrogância de Davi: “Quem é você para me construir uma casa? Por mais piedosos que meus planos para Deus e Sua obra pareçam, eles ficam muito aquém da pureza de pensamento e motivo que Deus exige. Numa análise final, não há nada que possamos fazer por Deus em nossa própria força. É Deus quem deve realizar grandes coisas através de nós, e muitas vezes apesar de nós.

A segunda lição

Relacionado a esta primeira lição, há ainda uma segunda lição: por mais altos e elevados que sejam nossos objetivos e planos, os planos de Deus são maiores.

Davi planejava construir uma casa para Deus? Davi nem podia imaginar a “casa” que Deus iria construir para ele. A “casa” de Deus ultrapassaria em muito a “casa” proposta por Davi .

A terceira lição

A grandeza e a glória da presença e do poder de Deus não devem ser interpretadas à luz de quão espetaculares os arredores e o cenário são. Há muito tempo, Elias foi aprendeu que a presença de Deus não era para ser assumida no meio de um fenômeno espetacular (embora às vezes Ele se apresentasse por meios espetaculares – veja Êxodo 19, 34). 

Deus não estava presente no vento, no terremoto ou no fogo, mas numa voz baixa e calma (1 Reis 19: 11-13).) Os discípulos, em certa medida, e os judeus em grande medida, esperavam que o Messias fosse revelado por meio de um evento milagroso e espetacular. 

Os coríntios do Novo Testamento passaram a considerar os líderes com estilo sensacionalista como os mais espirituais, ao mesmo tempo em que desprezavam aqueles que tinham estilos menos espetaculares, como Paulo e os outros verdadeiros apóstolos (ver 1 Coríntios 4; 2 Coríntios 4-6). 

O próprio Senhor não veio em chamas de glória e sensacionalismo. Ele veio com sua glória velada (ver Isaías 53:1-3; João 1:9-11; Filipenses 2:5-8) e, portanto, muitos falharam em reconhecê-Lo como o Messias. 

Onde Deus Habita?

O segundo templo (o corpo) não era tão espetacular aos olhos dos homens, mas aos olhos de Deus, era glorioso. A verdadeira glória não vem no ambiente externo, mas no fato de que o próprio Deus está entre nós, habitando em nós, Seu corpo. Devemos aprender com Davi e com outros na Bíblia que a glória de Deus deve ser encontrada onde Deus está presente, e não necessariamente onde vemos o espetacular.

No início deste capítulo Davi pensava que Deus estaria mais presente em um templo espetacular do que em uma tenda. Ele aprendeu que Deus está “entronizado nos louvores do Seu povo” (Salmos 22:3). Deus escolheu morar em um “templo” muito diferente do que ele imaginava. O “templo” do Seu corpo, a igreja: (Efésios 2: 19-22) (1 Pedro 2:4-5).

E no reino eterno de Deus, não haverá “templo” como tal, pois nosso próprio Senhor será o “templo”. (Apocalipse 21:22)

A quarta lição

Vemos que Davi não precisa de um templo próximo para adorar a Deus. De fato, Davi estava se afastando da adoração quando propõe a construção de um templo. É somente depois que Davi é lembrado de que tudo o que ele é e tudo o que realiza é de Deus que ele começa a adorar da maneira correta. Ele então começa a reconhecer sua própria insignificância e louvar a Deus por Sua grandeza, poder e presença em sua vida. É aqui que toda a verdadeira adoração começa, não em um edifício espetacular, mas concentrando-se na grandeza e na graça de nosso Deus.

A quinta lição

A repreensão divina de Deus a Davi deve servir de lição para todo cristão. Você não pensou que, se pudesse crescer, ganhar maturidade e sabedoria como cristão, de alguma forma se tornaria isento de tentações e protegido do pecado? Crescimento, maturidade e sucesso não nos isolam do pecado; frequentemente, essas coisas podem facilmente se tornar novas tentações para pecarmos. Davi corre mais perigo em seu palácio do que quando estava fugindo de Saul e se escondendo em alguma caverna. Muitas vezes levamos nossos “sucessos” muito a sério. Devemos lembrar que não há sucesso que possamos honestamente reivindicar como nosso, pois todo sucesso espiritual é um presente da graça de Deus:

Conclusão

Finalmente, sou lembrado mais uma vez que as maiores bênçãos de nossas vidas não são o resultado de nossos trabalhos, mas sempre o resultado da obra de Deus, e muitas vezes quando Ele usa nossas falhas e deficiências. 

Davi é repreendido por solicitar a construção de um templo para Deus e, mesmo assim, Deus promete construir uma casa muito maior do que Davi jamais poderia imaginar. Davi está errado quando comete adultério com Bate-Seba e mata o marido, mas apesar disso, ela se torna esposa de Davi e mãe de Salomão, o próximo rei de Israel. Davi está errado em numerar Israel, mas como resultado desse pecado, a propriedade sobre a qual o templo deve ser construído é adquirida por Davi.

Que Deus maravilhoso nós servimos! Não podemos frustrar Seus propósitos e promessas. E mesmo nossos esforços para frustrar Seus propósitos servem apenas para promover Seu reino. Vamos nos alegrar por Deus não habitar mais dentro de uma tenda ou templo, mas dentro de nós, a igreja. Somos a casa de Deus se confiamos em Jesus Cristo.

A seguir: Davi cansa de colecionar vitórias!


Número de visualizações do artigo: 46