O que a Bíblia diz sobre quarentena e a higiene em tempos de crise?


O que a Bíblia diz sobre quarentena e a higiene em tempos de crise?

Leia no artigo anterior…

A Bíblia e a quarentena

O que a Bíblia diz sobre quarentena e a higiene em tempos de crise? A Palavra de Deus é um guia maravilhoso mesmo nesses assuntos. Ele fala claramente em princípios gerais sobre quarentena. E a comunidade médica os segue aproximadamente hoje. 

Governos do mundo todo, se viram obrigados a usar de uma estratégia muito comum na Bíblia. A quarentena.

As notícias dizem que até o momento mais de 3 bilhões de 7,8 bilhões de pessoas estão em quarentena em todo o mundo. Enquanto você lê esse artigo, esse número já pode ter sido duplicado.

Muitos estão praticando a “auto-quarentena”, enquanto outros estão desconsiderando as orientações do governo federal e dos Centros de Controle de Doenças. 

Existem dois medos: ficar doente e deixar outra pessoa doente (mesmo que você não esteja apresentando sintomas). 

Por isso os governos do mundo estão colocando pessoas saudáveis ​​em quarentena. 

O que devemos pensar sobre isso? Quando e por que devemos nos colocar em quarentena?

A Palavra de Deus é um guia maravilhoso mesmo nesses assuntos. Ele fala claramente em princípios gerais sobre quarentena. E a comunidade médica os segue aproximadamente hoje. 

Alguns historiadores afirmam que os procedimentos de limpeza e quarentena apareceram pela primeira vez na Bíblia. Vamos examinar os princípios bíblicos da quarentena.

Quando começou?

A prática do auto-isolamento começou durante a viagem do povo de Israel do Egito para a Terra Prometida, onde Moisés foi o primeiro funcionário de saúde pública Judeu. 

Também não era para menos, uma multidão incontável de pessoas em um deserto, sem nenhuma estrutura sanitária, poderia ser simplesmente dizimada por causa de doenças

As leis de Moisés para quarentena se referem a essas situações em Israel no deserto, e com o tempo mudaram. No entanto, existem princípios permanentes para aplicarmos hoje.

As leis tratavam por exemplo de procedimentos ao tocar os mortos e o contato com diferentes doenças. 

Haviam procedimentos para lidar com excrementos, roupas contaminadas, secreções corporais infectadas, enfermarias, mofo e epidemias. 

Os remédios para infecções visíveis no corpo incluíam o banho e barbear. A limpeza como remédio também foram prescritos para roupas, tecidos, roupas de cama e selas. 

Deus, em Sua sabedoria, ensinou ao Seu povo as melhores práticas de quarentena.

O povo de Deus no deserto

 Em Levítico, vemos Moisés, dando ordens sobre o que fazer com aqueles “com uma afeição leprosa”.

“Uma pessoa que sofrer de uma doença contagiosa da pele deverá vestir roupas rasgadas, deixar os cabelos sem pentear, cobrir o rosto da boca para baixo e gritar: Impuro, impuro!” Levítico 13:45.

Para condições de pele menos dramáticas, em Levítico, os sacerdotes são instruídos a observar a descoloração e, desde que o cabelo da pele afetada não seja branco, isole a pessoa por uma semana antes de uma segunda consulta. (Ainda não está limpo? Mais uma semana.) Alguma semelhança com os dias atuais?

“Enquanto sofrer de uma doença contagiosa, a pessoa continuará impura e precisará morar sozinha, fora do acampamento.” Levítico 13:46

Existe até um exemplo de quarentena de casas na terra de Canaã que pareciam ter um mofo semelhante a uma praga. Levítico afirma que os Cohanim deveriam passar por essas casas e colocá-las em quarentena por uma semana. Levítico 14:33-45

Em outros livros, como em Números, Deus aconselha Moisés, dizendo: “Instrua os israelitas a retirarem do acampamento qualquer pessoa com uma erupção ou descarga e alguém profanado por um cadáver … coloque-os fora do acampamento para que não contaminem o acampamento daqueles em quem eu habito no meio.” Números 19:11

 Mas, se há uma clara explicação dos vários tipos de quarentena o que é de mais relevante nesse período de histeria pandêmica, é uma preocupação com a limpeza. 

O povo de Deus na Peste Negra

A Peste Negra, também conhecida como Peste Bubônica, matou de 75 a 200 milhões de pessoas. 

Chegou ao auge entre 1346 e 1353. Os judeus na Europa, conhecedores das boas práticas sanitárias descritas na Bíblia, seguiram os princípios bíblicos da quarentena e não experimentaram o mesmo sofrimento da população em geral. 

Eles lavaram os germes e praticaram a quarentena quando necessário. No entanto, os judeus foram culpados pela peste e perseguidos por ela durante o século XIV.

Aqui está o princípio mais básico das leis de quarentena, de acordo com o patrimônio geral da Lei de Deus: 

“Quando você tem sintomas, deve colocar em quarentena ou ficar em quarentena para proteger os outros. Se não houver sintomas, não há motivo para quarentena. No entanto, pode haver circunstâncias extraordinariamente perigosas em que é preciso ser mais cauteloso que isso no curto prazo.”

Isso nos protege de sermos irresponsáveis. 

Considere um décimo primeiro mandamento nos próximos dias e semanas: “lavarás as mãos.”

Em Cristo!

A seguir: Bíblia, o primeiro livro de saúde pública da história!

“Se gostou do artigo, compartilhe com seus amigos e deixe um comentário abaixo. Ajude também a divulgar o conteúdo do Blog!”


Número de visualizações do artigo: 109