2 Samuel 10:6-14 – Joabe, Absai e o assustador exército freela de mercenários covardes!


Joabe, Absai e o assustador exército de mercenários covardes!

Joabe, Absai e o assustador exército de mercenários covardes, é um estudo Bíblico de 2 Samuel 10:6-14, que conta a história engraçada de um exército freelancer, que dá no pé ao ver que a coisa fica feia.

Davi envia Joabe e seus homens para a guerra

V: 6,7. Quando o rei de Amon viu que havia deixado Davi revoltado, tratou logo de contratar um freela básico de vinte mil mercenários sírios em Bete-Reobe e Zobá, mais mil em Maaca e finalmente, doze mil em Tobe. Uma espécie de Workana ou 99flreelas daquela época.

O cara investiu uma grana para montar um exército dos mais respeitáveis e assustadores. Entretanto, essa era uma prática comum no mundo antigo. 1Crônicas 19:6 diz que os amonitas pagaram 1.000 talentos aos sírios.

Quando Davi soube disso, não perdeu tempo. Enviou Joabe e seus homens contra o exército de aluguel montado por Hanum. Evidentemente, Davi se preparou para a guerra somente depois que os amonitas reuniram esse grande exército.

Os soldados de Davi, eram um grupo rígido de veteranos poderosos e habilidosos, que tornaram um exército invencível de Davi. Portanto, um amontoado de mercenários de cara feia, não passariam tão facilmente por eles.

A estratégia de Joabe

V: 8-11. Ao chegar ao campo de batalha, Joabe deparou-se com o seguinte cenário: os amonitas haviam se postado na entrada da cidade de Robá, enquanto os mercenários freelas sírios tomavam posição em campo aberto.

Aparentemente, parecia ruim para o exército de Israel. Joabe podia ser cruel e inconseqüente, no entanto, em tempos de guerras, não havia ninguém melhor que ele para liderar: logo, viu que daquela forma, seu exército seria facilmente cercado. 

Dessa forma, o grande comandante de Davi considerou aquela grande força de mercenários sírios na retaguarda, como a maior ameaça ao seu sucesso; portanto, ele escolheu liderar os soldados contra essa força de 33.000 homens. 

Joabe e Absai combinam a estratégia contra o exército de mercenários

Então Joabe, escolheu seus melhores soldados e os formou em linha contra os sírios, deixando que o restante de seus homens combatessem os amonitas sob o comando de Abisai, seu irmão.

Esta é a primeira menção aos chamdos “poderosos de Davi”, chamando-os de “exército dos poderosos”. Então Joabe, chamou seu irmão Absai e combinou com ele a seguinte estratégia:

— Abisai, quero compartilhar com você a melhor saída. Nossos pelotões ficarão de costas um para o outro, ok? Se você vir que eu estou apanhando dos sírios, venha me ajudar, certo? Se eu perceber que você está com dificuldades contra os amonitas, vou te ajudar. Tudo bem?

Joabe tinha apenas uma estratégia no ataque de batalha; matar ou morrer. Muitos generais considerariam até uma rendição quando cercados de ambos os lados pelo inimigo, mas não Joabe. Ele chamou o exército à coragem e à fé e disse-lhes para prosseguirem com as seguintes palavras:

— Seja o que Deus quiser e, que o SENHOR faça o que é bom aos seus olhos!

E assim, convocando o Senhor para a batalha, seguiram firmas contra o exército de mercenários.

O assustador exército de mercenários covardes!

V: 12-14. Lembre-se de que aqueles sírios eram mercenários contratados, certo? Apesar de numerosos e assustadores, esses freelas não tinham nenhum interesse patriótico em defender Hanum. Portanto, não é difícil entender o que aconteceu a seguir.

Quando Joabe lançou seu ataque selvagem contra a multidão de sírios, seus veteranos endurecidos em batalhas, iam destruindo tudo o que viam pelo caminho.

Como resultado, os mercenários, vendo o que estavam enfrentando, simplesmente deram as costas e fugiram para salvar suas vidas. Foi dinheiro jogado fora. O texto nem mesmo diz que Joabe enfrentou os mercenários em batalha. Não deu nem para testar a estratégia.

Definitivamente, o exército de mercenários covardes, fugiu diante do exército de Joabe e Absai, porque Deus estava com eles. Lembre-se que Deus prometeu esse tipo de bênção a um Israel obediente (Deuteronômio 28:7).

A batalha foi rapidamente concluída quando os amonitas, detidos com sucesso por Abasai e seus homens, viram que seus mercenários covardes haviam fugido e que toda a força do contingente de Joabe ainda seria adicionada às forças de Abasai.

Espantados com a facilidade da batalha, os dois irmãos juntaram seus homens e voltaram felizes para Jerusalém.

Mas a guerra ainda não havia terminado. A confusão iniciada pela brincadeira de Hanum não se encerraria por aí. É o que veremos nos próximos estudos.

Em Cristo!

“Se gostou do artigo, compartilhe com seus amigos e deixe um comentário abaixo. Ajude também a divulgar o conteúdo do Blog!”


Número de visualizações do artigo: 61