2 Samuel 12:5-9 – Davi condena seu próprio pecado!


2 Samuel 12:5-9 - Davi condena seu próprio pecado!

Davi condenou seu próprio pecado, antes que pudesse encontrar perdão. Fez isso, imediatamente ao sentenciar o culpado da história de Natã.

Por que Natã conta a história?

V: 5 – Vimos na postagem anterior que Natã, profeta e amigo de Davi, vai até ele enviado por Deus para repreendê-lo. Mas ao invés de repreendê-lo imediatamente, conta-lhe uma história. 

Mas por que uma história? Por que não deixar Davi frente a frente com seu pecado imediatamente? 

Muitos apontam que essa é uma tática habilmente empregada, que leva Davi a julgar o crime antes de perceber que é ele mesmo o criminoso. 

Eu acho que isso é verdade. Pois Davi fica tão zangado com a falta de compaixão do “homem rico” da história, que se pudesse, mataria esse sujeito. 

O princípio do julgamento

Mas já tendo Davi se comprometido com o princípio do julgamento, Natã agora pode aplicar o mesmo princípio a Davi, em particular.

– COMO É QUE É??? O cara tinha gado à vontade, mas preferiu matar o animal de estimação do outro, que não tinha mais nada na vida?

– Isso mesmo, Davi!

– ESSE SUJEITO É UM MAU CARÁTER! Deve dar quatro ovelhas para o vizinho, e como vive o Senhor, esse homem deve ser executado. Não consigo imaginar outro castigo para ato tão cruel.

Davi condena seu próprio pecado

Natã não pediu uma decisão judicial a ele, mas Davi naturalmente assumiu que a história era verdadeira. 

Portanto, Davi imediatamente sentenciou o culpado da história de Natã. Com isso, ele mostrou que muitas vezes tentamos livrar nossa consciência culpada, julgando alguém.

O senso de justa indignação de Davi foi tão afetado por sua própria culpa que ele ordenou uma sentença de morte pelo caso hipotético apresentado por Natã, mesmo que não fosse um crime capital.

Ou seja, Davi condenou seu próprio pecado, antes que pudesse encontrar perdão. 

Quando não condenamos o pecado em nós mesmos

Muitas vezes tentamos encontrar refúgio para desculpar, minimizar ou desviar a culpa do nosso pecado; nós simplesmente não condenamos o pecado em nós mesmos. No entanto, é muito fácil ver os mesmos pecados nos outros e julgá-los.

Esse julgamento do rei estava exatamente de acordo com a Lei de Deus, conforme revelado em Êxodo 22:1. Por isso, temos certeza de que Davi também conhecia a lei de Deus sobre adultério e assassinato, registrada nas mesmas Escrituras. 

É incrível como Davi ainda não vê a conexão com sua falta de compaixão por roubar matar Urias.

O toque culminante na demonstração de justa indignação de Davi é o aroma religioso que ele dá ao usar as palavras “como vive o Senhor”.

A revelação de Natã

V:7-9 – Por fim, Davi acabou de cair em sua própria armadilha, e Natã está prestes a deixá-lo saber sobre isso. E então, a primeira coisa que Natã faz é indiciar dramaticamente Davi como o culpado:

– Pois esse sujeito é o senhor, majestade.

Em um silêncio atordoado, Davi agora ouve as acusações contra ele. Davi pensa apenas em termos dos males que o homem rico cometeu contra seu próximo, roubando as ovelhas de um homem e privando-o de seu companheiro.

Em outras palavras, Davi pensa apenas em termos de crime e comportamento socialmente inaceitável, não em termos de pecado. No entanto, nos próximos versículos, Natã chamará a atenção de Davi para o seu pecado contra Deus e as consequências que Deus pronunciou para o seu pecado. 

A repreensão divina de Natã a Davi

– DEUS SABE TUDO, DAVI! Ele mandou dizer, que o fez rei de todo o Israel, que o salvou de Saul e entregou o reino em suas mãos. Tudo isso ele lhe deu, e daria tudo duplicado. Então por que é que você foi cometer um crime tão vil?

Através de Natã, Deus explicou a Davi que seu pecado era realmente uma expressão básica de ingratidão. Quando Deus deu tudo isso a Davi e tinha muito mais a dar a ele, Davi procurou o pecado.

– VOCÊ ORDENOU A MORTE DE URIAS, PARA PODER FICAR COM A MULHER DELE!

Essa acusação contundente e esmagadora da conduta de Davi por um honrado profeta de Deus, deve ter sido um choque profundo para o rei. 

É o milagre da fé de Davi em Deus, que fez com que ele não ordenasse que seu guarda-costas matasse Natã no meio desta entrevista. 

A história continua como você bem sabe, mas vamos parar por aqui, tendo nos concentrado na repreensão divina de Natã a Davi. 

Em nossa próxima lição, refletiremos sobre o arrependimento de Davi e as conseqüências imediatas de seu pecado. 

Lições importantes

Mas vamos encerrar esta mensagem considerando algumas lições muito importantes para aprendermos com o pecado de Davi e a repreensão de Natã:

1º Deus vê nosso pecado. Nossos pecados nunca passam despercebidos por Deus. 

2º O pecado de Davi não é uma desculpa para pecarmos, mas um aviso para todos nós, de que se pecarmos, enfrentaremos as consequências. Alguns podem dizer: Bem, se até Davi pecou…” O que eles querem dizer é: “Como você pode esperar que eu não peque?”. “Se Davi, por mais espiritual que fosse, pecou daquela forma, então como você pode esperar que eu não faça?”

3º O pecado de Davi, como todo pecado, nunca valeu seu preço.

Já ouvi pessoas me perguntando qual seria a penalidade por um determinado pecado. Na verdade, estavam planejando em fazê-lo, para depois serem perdoados. Há quem brinque com o pecado, pensando que, se pecar, poderá sofrer algumas consequências, mas que Deus é obrigado a perdoá-lo e, portanto, seu futuro eterno é certo e seguro, não importa o que faça, mesmo que intencionalmente. 

Eu nunca conheci um cristão que escolheu pecar e, depois de tudo acabado, sentiu que valia o preço. O pecado de Davi e suas conseqüências não devem nos encorajar a pecar, mas devem nos motivar a evitar o pecado a todo custo. As consequências negativas do pecado superam os prazeres momentâneos do pecado. O pecado nunca valerá o preço, mesmo para aqueles cujo pecado é perdoado.

4º A história do abate de um cordeiro é a história do Cordeiro de Deus que expõe a imensidão de nossos pecados.

Foi por meio da história da matança do cordeiro de estimação de um pobre homem, que Davi foi tomado pela imensidão do pecado que era seu. Com isso, Davi pôde ver seu próprio pecado quando ouviu a história do que parecia ser o pecado de outro.

O evangelho de Jesus Cristo é “boas novas”. A “Boa Nova” é que a morte de nosso Senhor, revela a imensidão do nosso pecado. Por sua morte inocente e sacrificial, Jesus pagou por nossos pecados. 

Você já viu quão grandes são seus pecados diante de um Deus santo? Então, peço que você experimente quão grande é a sua salvação, provocada por esse mesmo Deus, através da morte e ressurreição do Senhor Jesus Cristo. 

Em Cristo!


Número de visualizações do artigo: 76